Artigos
  • VILSON NERY
    Li as propostas dos três candidatos, e separei as palavras “agricultura” e agronegócio” em seu contexto no plano de governo, para dar qualidade à minha pretensão
  • JOÃO PAULO OLIVEIRA
    No processo eleitoral atual há uma enorme preocupação com relação a informações falsas que são passadas no que tange a uma série de situações e candidatos
T. Superiores / IDENTIDADE PSICOSSOCIAL

Tamanho do texto A- A+
09.05.2017 | 17h41
STJ autoriza transexuais a mudar gênero no registro civil
Decisão inclui pessoas que não se submeteram à cirurgia transgenital
Reprodução
Decisão é da 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça
MATHEUS TEIXEIRA
DO CONJUR

Todos os transexuais, inclusive os que não se submeteram à cirurgia transgenital, têm o direito de mudar o gênero no registro civil. Assim entendeu a 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça, nesta terça-feira (9/5), ao reformar decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul que negou a alteração do sexo e autorizou apenas um novo prenome a uma pessoa que se identifica como mulher.

Para o colegiado, a identidade psicossocial prevalece em relação à identidade biológica, não sendo a intervenção médica nos órgãos sexuais um requisito para a alteração de gênero em documentos públicos.

O relator do caso, ministro Luís Felipe Salomão, já tinha apresentado voto nesse sentido, mas a análise do caso foi suspensa após pedido de vista do ministro Raul Araújo. Nesta terça, Araújo leu seu voto, que seguiu o entendimento de Salomão. A posição também é compartilhada pela presidente do colegiado, ministra Isabel Galotti, que deu o último voto e encerrou o julgamento favorável ao recurso que questionou o acórdão do TJ-RS.

Na visão de Araújo, é responsabilidade do Judiciário “evitar constrangimento social”. “O sujeito vive o gênero ao qual sente pertencer. É indiscutível que referida intervenção cirúrgica não vai além de mudar o aspecto morfológico, sem mudar questão biológicas, genéticas, cromossômicas.”

Ele afirmou ainda que os cidadãos têm liberdade para decidir o que fazer com o próprio órgão sexual. “A cirurgia deve ser liberada, mas jamais constar como requisito para conseguir a mudança do registro”, defendeu.

Para Isabel Galotti, a aparência externa do autor do pedido não pode ser considerada no pedido de mudança do registro. “O rigor do sexo biológico não se prenderia apenas à visão externa. É uma questão genética.”


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Setembro de 2018
20.09.18 17h03 » Juiz não deve apoiar candidato nas redes sociais, diz corregedor nacional
19.09.18 11h48 » "É possível fixar regime semiaberto a condenado por tráfico", diz ministro
18.09.18 17h20 » Rosa Weber diz que crítica à urna eletrônica é 'desconectada da realidade'
13.09.18 16h41 » Empresa é condenada por duvidar da gravidez de funcionária
03.09.18 11h14 » TSE proíbe PT de fazer propaganda de Lula como candidato
01.09.18 08h38 » TSE decide por 6 votos a 1 rejeitar a candidatura de Lula a presidente
Agosto de 2018
30.08.18 08h41 » João Otávio de Noronha toma posse como presidente do STJ
24.08.18 10h01 » STJ concede adicional de 25% a aposentados que necessitam de cuidadores
23.08.18 17h31 » Lula é intimado pelo TSE a apresentar defesa da candidatura até dia 30
23.08.18 09h21 » TSE mantém multa ao Facebook por descumprir ordem judicial



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet