Artigos
  • RODRIGO MESQUITA
    A propaganda pela reforma contrapõe o "velho" ao "moderno", como se leis antigas se tornassem ruins pelo mero decurso do tempo
  • AUREMÁRCIO CARVALHO
    A delação passa a ser considerada como prova quando o delator incrimina um terceiro e prova suas afirmações
  • VICTOR MAIZMAN
    O certo é que não seria possível deixar qualquer autoridade imune de qualquer forma de controle quanto a seus atos
  • GISELE NASCIMENTO
    Parece-me apressada e inadequada, neste momento histórico, a pretendida implantação de recall presidencial
T. Superiores / R$ 533 MILHÕES

Tamanho do texto A- A+
08.03.2017 | 17h39
PGE obtém liminar para licitar novas unidades do Ganha Tempo
Decisão do Superior Tribunal de Justiça saiu na terça-feira e já foi comunicada ao TJMT
Gcom
A unidade do Ganha Tempo da Praça Ipiranga em Cuiabá
DA REDAÇÃO

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) conseguiu junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) uma liminar confirmando a licitação para a expansão do projeto Ganha Tempo em sete municípios do Estado.

A concessão terá duração de 15 anos com o valor de R$ 533 milhões.

A liminar foi concedida nesta terça-feira (07) pela ministra Laurita Vaz, presidente do tribunal  e deve ser publicada ainda nesta quinta-feira (08).

Na noite de terça-feira o Tribunal de Justiça de Mato Grosso já foi comunicado da decisão. A ação foi preparada em Cuiabá pelo sub procurador de Defesa do Patrimônio Público, Carlos Antônio Perlin, e acompanhada junto ao STJ  pelo sub procurador da PGE junto aos tribunais superiores, Lucas Schwinden Dalamico.

“Trata-se de decisão extremamente importante para a sociedade mato-grossense, pois permite o avanço de licitação que objetiva a melhoria de serviços públicos essenciais, com impacto em mais de um milhão e novecentas mil pessoas”, destacou o sub procurador.

Com esta decisão, a Secretaria Estadual de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT) poderá dar continuidade ao processo. Em fevereiro passado, o TJMT havia concedido uma liminar a duas empresas suspendendo o andamento do processo. Elas questionaram que dois concorrentes habilitados não cumpriram as exigências que constam no edital da licitação. A abertura dos envelopes estava programada para o dia 07 de fevereiro.

A licitação refere-se à escolha de uma empresa para administrar as novas unidades em Cuiabá,  Várzea Grande, Lucas do Rio Verde, Rondonópolis, Sinop,  Barra do Garças e  Cáceres.

A previsão é de que as novas agências sejam entregues até 2018, seguindo o cronograma de execução, e atendam cerca de dois milhões de pessoas por ano.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Junho de 2017
17.06.17 08h35 » STJ manda julgar empresária acusada de matar irmãos
13.06.17 08h30 » STJ anula condenação transitada em julgado contra PM de MT
12.06.17 08h28 » Ministro do STJ manda bloquear R$ 800 mil de Riva
Maio de 2017
24.05.17 09h06 » Coaf pode passar informações ao MP que não violem sigilo financeiro
09.05.17 17h41 » STJ autoriza transexuais a mudar gênero no registro civil
05.05.17 09h01 » STJ rebate jornal após notícia de que delação envolveria ministros
03.05.17 14h19 » STJ mantém bloqueio de contas de Riva em até R$ 1,9 milhão
Abril de 2017
20.04.17 15h31 » STJ homologa sentença da Justiça irlandesa contra a Vasp
12.04.17 09h06 » Fischer nega pedido de produção de provas contra Lula
11.04.17 10h58 » Mantida nula absolvição assassino de ex-secretário



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet