Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Se agente público pode agir de forma discricionária, Constituição censura atitudes incoerentes
T. Superiores / TSE

Tamanho do texto A- A+
25.11.2016 | 12h24
Mendes critica "pretensos advogados" que atuam como lobistas
Ministro desaprovou a conversa entre Garotinho e seus advogados
Nelson Jr/STF
A declaração foi em sessão da Corte, na manhã desta quinta-feira, 24, durante julgamento em que se revogou a prisão preventiva do ex-governador do RJ Anthony Garotinho
DO MIGALHAS

O presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, deu uma "bronca" nos "pretensos advogados" que atuam como lobistas e defendeu a ministra Luciana Lóssio. "Exerçam a profissão com dignidade e com respeito às instituições!"

A declaração foi em sessão da Corte, na manhã desta quinta-feira, 24, durante julgamento em que se revogou a prisão preventiva do ex-governador do RJ Anthony Garotinho.

No último domingo, 20, o programa Fantástico, da TV Globo, divulgou conversa entre Garotinho e seus advogados, na qual o ex-governador orienta os causídicos a procurarem a ministra do TSE para tratar do HC.

Para o ministro, na conversa, fala-se de forma "cifrada" de uma questão que é totalmente transparente e de direitos de todos: o habeas corpus. Gilmar Mendes afirmou que, ao falar dessa forma, os causídicos não tratam com a devida seriedade o Judiciário e as instituições, uma vez que é de conhecimento público que a ministra Luciana, e outros ministros, recebem advogados em seus gabinetes.

Aproveitando a oportunidade, Luciana afirmou que recebeu, sim, o advogado de Garotinho, em cumprimento do seu dever. "Todos os advogados que militam nesse Superior Tribunal Eleitoral sabem da minha agenda. Portanto, essa venda de ilusão de um contato é absolutamente inadmissível."

Gilmar Mendes declarou ainda que advogados que atuam como lobistas "não contribuem para a advocacia e contribuem para denegrir a imagem do Judiciário". "São vendedores de ilusões que estão aí a engenhar, a articular."

"Era preciso fazer esse registro. O advogado precisa saber que esse tipo de ato compromete a Justiça [...] Não se enfraquece apenas o Judiciário. A nossa matéria prima, a nossa substância, é a nossa credibilidade. É preciso que o cidadão acredite nessa mística."

O presidente da Corte disse que vai procurar a OAB e as instituições de advocacia para tratar dessa questão e verificar esses casos. "As instituições precisam trabalhar isso em defesa do Judiciário."

"É preciso que os advogados, que fazem jus a esse nome, não se confundam com lobistas."


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Maio de 2017
09.05.17 17h41 » STJ autoriza transexuais a mudar gênero no registro civil
05.05.17 09h01 » STJ rebate jornal após notícia de que delação envolveria ministros
03.05.17 14h19 » STJ mantém bloqueio de contas de Riva em até R$ 1,9 milhão
Abril de 2017
20.04.17 15h31 » STJ homologa sentença da Justiça irlandesa contra a Vasp
12.04.17 09h06 » Fischer nega pedido de produção de provas contra Lula
11.04.17 10h58 » Mantida nula absolvição assassino de ex-secretário
11.04.17 08h39 » STJ nega substituir prisão em caso de violência doméstica
09.04.17 14h34 » STJ permite que governo de São Paulo reajuste tarifas de transporte
02.04.17 16h11 » STJ prorroga prisão dos 5 conselheiros do TCE do Rio
Março de 2017
29.03.17 18h08 » STJ manda prender 5 dos 7 conselheiros do TCE do RJ



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet