Artigos
  • RICARDO BERTOLINI
    A corrupção é doença que retira do cidadão a possibilidade de ter algum acesso aos serviços públicos
  • ALEX VIEIRA
    Devemos ter Cautela com os conhecimentos transmitidos vulgarmente, pois muitas vezes estão contaminados por falsas ou incompletas informações
  • SÉ CORDOVEZ
    Na prática a boa intenção da medida visa à extinção da cobrança retroativa do Funrural aos seus Contribuintes
T. Superiores / HABEAS CORPUS

Tamanho do texto A- A+
10.10.2016 | 15h31
Réu que descumprir delação premiada pode ter prisão preventiva restabelecida
Decisão é da 5ª turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ)
Arquivo
O entendimento da 5ª turma é no sentido de que não há ilegalidade na manutenção de privão preventiva
DO MIGALHAS

Descumprimento de acordo de delação premiada pode ser motivo para o restabelecimento da prisão preventiva. Foi o que considerou a 5ª turma do STJ ao negar HC, por unanimidade, ao empresário Fernando Antônio Guimarães Hourneaux de Moura, condenado em processo decorrente da operação Lava Jato.

Segundo o ministro Felix Fischer, relator, entendimento da 5ª turma é no sentido de que não há ilegalidade na manutenção de prisão preventiva quando demonstrado, com base em fatos concretos, que a segregação se mostra necessária, dada a gravidade da conduta incriminada, bem como em razão do efetivo risco de fuga.

"Nos casos em que a intensidade do descumprimento do acordo de colaboração mostrar-se relevante, a frustração da expectativa gerada com o comportamento tíbio do colaborador permite o revigoramento da segregação cautelar."

Benefício revogado

Hourneaux foi condenado a 16 anos e dois meses de reclusão. Na sentença, foi determinada a prisão preventiva do empresário diante da possibilidade de fuga e do não cumprimento do acordo de delação firmado por ele.

O empresário havia se comprometido a repassar informações e devolver de cerca de R$ 5 milhões, valor relativo aos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Diante de sucessivas modificações em seus depoimentos, entretanto, a credibilidade da delação foi comprometida. Além disso, a quantia acertada não foi devolvida e, por já existir histórico, durante o escândalo do mensalão, de fuga do empresário para o exterior, o juiz determinou a custódia preventiva.

No habeas corpus impetrado no STJ, a defesa alegou que a prisão preventiva foi ilegal por ter sido decretada em razão da frustração do acordo de delação. "No artigo 312 do CPP nem tampouco em qualquer outra disposição normativa há a previsão legal de que eventual violação de acordo de delação premiada seja motivo suficiente e automático para a decretação de prisão preventiva."

Entretanto, o ministro Fischer observou que a liberdade havia sido concedida ao réu justamente em razão do acordo de colaboração e que, diante da frustração da expectativa do cumprimento do que foi assumido, também foi revogada a concessão do benefício.

"Não é inusual, em nosso sistema processual, que o descumprimento de obrigações assumidas pelo acusado, que se encontrava preso e alcança a liberdade, impliquem o corolário da retomada de sua segregação."

 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Setembro de 2017
21.09.17 09h52 » Ministro diz que ainda é “necessária” a prisão do coronel Zaqueu
12.09.17 18h10 » STJ não analisa recurso e mantém prisão de ex-comandante da PM
Agosto de 2017
25.08.17 11h25 » Ministro diz que Paulo quer “escapar” do TJ e mantém perícia
24.08.17 18h13 » STJ condena mulher que enviou vodus para amante do pai
21.08.17 11h05 » Prisão só pode ser decretada por atraso nas três últimas parcelas, diz STJ
17.08.17 15h51 » STJ condena vereador de Várzea Grande que nomeou latrocida
17.08.17 10h48 » Ministro do STJ nega devolução de celular a ex-chefe da Casa Civil
16.08.17 11h23 » Ministro diz que TJ demonstrou necessidade da prisão de Zaqueu
16.08.17 08h38 » STJ avaliza transferência de militares de MT para presídios federais
16.08.17 08h21 » Ex-secretário entra com pedido para reaver celular apreendido



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet