Artigos
  • PEDRO HENRIQUE MARQUES
    Aspectos constitucionais do referido instituto na atual conjuntura política
  • VICTOR MAIZMAN
    É recorrente a insatisfação e inconformismo da sociedade quanto à elevada carga tributária
  • RENATO NERY
    A imprensa diariamente notícia novos casos de apropriação do espólio da viúva
J. Eleitoral / EMBATE NA CAMPANHA

Tamanho do texto A- A+
28.03.2018 | 10h12
Inquérito investigará WS por crítica a médico primo de Emanuel
Durante campanha, secretário disse que médico Mario Espósito não tinha “costume de trabalhar”
Alair Ribeiro/MidiaNews
O secretário de Cidades, Wilson Santos: investigação por conta de críticas
LUCAS RODRIGUES
DA REDAÇÃO

O juiz Ricardo Gomes de Almeida, do Tribunal Regional Eleitoral em Mato Grosso (TRE-MT), determinou a abertura de um inquérito contra o deputado e secretário de Estado de Cidades, Wilson Santos (PSDB).

A decisão é da última segunda-feira (26). Wilson será investigado por suposta difamação contra o médico Mario Pinheiro Espósito, que é primo do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB).

De acordo com o requerimento, o alegado crime teria ocorrido durante a campanha municipal de 2016, quando Wilson e Emanuel disputaram o comando do Palácio Alencastro.

Na ocasião, um dos programas eleitorais de Emanuel culpava Wilson pelo caos na saúde municipal, em razão de supostas falhas na gestão do tucano, que geriu a Capital de 2005 a 2010.

Em resposta, Wilson colocou em xeque a imparcialidade dos médicos que o criticaram no programa, entre eles Mario Espósito.

Autorizo a instauração de Inquérito Policial para investigação dos fatos descritos na inicial e apuração de eventual prática do crime eleitoral

“Primeiro, que um dos médicos, o doutor Mario Esposito, é primo dele [Emanuel Pinheiro]. Aliás, tem pouco costume de trabalhar e nunca foi reconhecido como bom profissional”, rebateu o então candidato.

Na representação, Mario Espósito disse que as críticas de Wilson ofenderam a “sua reputação como médico e doutor em Otorrinolaringolia e servidor público municipal da capital”.

A Procuradoria Regional Eleitoral, no parecer sobre o caso, apontou pela existência de "fortes indícios da prática do crime eleitoral noticiado”.

“A materialidade está estampada às fls.23/31, ao passo que há elementos probatórios indicativos de que o requerido seja, de fato, o autor do delito”, diz trecho do documento.

Parecer acolhido

A opinião da PRE foi acolhida pelo juiz, uma vez que, segundo ele, “estão presentes os indícios da prática da citada conduta por parte do Deputado, ora requerido”.

“Com essas considerações, autorizo a instauração de Inquérito Policial para investigação dos fatos descritos na inicial e apuração de eventual prática do crime eleitoral previsto nos artigos 325 c/c 327, III, ambos do Código Eleitoral, atribuída ao Deputado Estadual Wilson Pereira dos Santos e o faço monocraticamente por ausência de previsão legal ou regimental para autorização de abertura de inquérito policial contra agente público com prerrogativa de foro por meio de decisão colegiada do Poder Judiciário”.

Ricardo Almeida determinou que o inquérito tramite diretamente entre a Polícia Federal e a Procuradoria Regional Eleitoral e que seja concluído em até 60 dias.

Outro lado

O secretário Wilson Santos não atendeu nem retornou o contato feito pela redação ao seu celular. As mensagens enviadas também não foram respondidas.

Leia mais sobre o assunto:

Wilson rebate médico que o criticou

Programa de Emanuel culpa Wilson por "calamidade" na saúde


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Junho de 2018
21.06.18 14h39 » TRE foi coerente ao revogar cassação de Lucimar, diz advogado
19.06.18 11h17 » Por 4 a 3, TRE-MT anula cassação de prefeita de Várzea Grande
11.06.18 15h48 » Três votam por manter e dois por revogar cassação de Lucimar
05.06.18 14h21 » Dois votam por anular cassação de Lucimar; julgamento é adiado
Maio de 2018
29.05.18 16h22 » "Sentença contra Lucimar é ilegal, injusta e ilegítima", diz defesa
Abril de 2018
23.04.18 16h50 » Juíza nega ação que acusava Bolsonaro de propaganda irregular
21.04.18 11h10 » Juiz arquiva investigação de suposta fraude na criação do PSD
02.04.18 16h57 » Título de eleitor de transgêneros terá só o nome social, diz Fux
Março de 2018
28.03.18 10h12 » Inquérito investigará WS por crítica a médico primo de Emanuel
13.03.18 10h35 » Juíza reprova contas e manda Julier devolver R$ 101,4 mil



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet