Artigos
  • RITA DE CASSIA BUENO
    Vale ressaltar que a prisão não extingue o débito alimentar, não isentando o devedor de pagar os valores vencidos e vincendos
J. Eleitoral / NESTE ANO

Tamanho do texto A- A+
06.11.2017 | 09h54
TSE deve julgar Lula e Bolsonaro por propaganda eleitoral antecipada
Vídeos que foram divulgados na internet fazem referência direta às candidaturas dos dois ao Planalto
Jayme/Ascom/TSE
Fachada do Tribunal Superior Eleitoral
DO CONSULTOR JURÍDICO

O Tribunal Superior Eleitoral deve julgar ainda neste ano dois processos envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) por propaganda eleitoral antecipada na internet. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a avaliação dentro do TSE é a de que esses julgamentos devem estabelecer as balizas que nortearão o entendimento do tribunal sobre o tema nas eleições de 2018.

Para o Ministério Público Eleitoral, vídeos que foram divulgados na internet fazem referência direta às candidaturas dos dois ao Planalto. Eles lideram as pesquisas e já anunciaram publicamente a intenção de concorrer em 2018.

De acordo com a legislação, a propaganda eleitoral somente é permitida a partir de 15 de agosto do ano da eleição e prevê multa de R$ 5 mil a R$ 25 mil para quem violar a restrição.

Em relação ao parlamentar, o TSE já começou a julgar o caso em setembro. O relator do processo, ministro Napoleão Nunes Maia, votou pela improcedência da ação por entender que “não é possível identificar, no conteúdo dos vídeos, nenhum trecho ou mensagem em que haja pedido direto ou indireto de voto”. Em um dos vídeos, intitulado “Bolsonaro 2018 Vamos juntos”, o narrador fala em “apoiar o futuro presidente”. O deputado então diz que “2018 está muito longe, vamos para a rua a partir de agora. A presença de todos ajudará para mostrar que nós não estamos a favor dessa ‘canalhada’ que está no poder”.

Para Napoleão, há apenas nos vídeos a “exaltação das eventuais qualidades morais, pessoais, profissionais e ideológicas do parlamentar”, o que não configura ilícito eleitoral. Napoleão foi o único a votar até agora porque o julgamento foi suspenso por pedido da vista do ministro Admar Gonzaga.

É de relatoria de Gonzaga a representação do MPE contra Lula. Em um dos vídeos, intitulado “Ele está voltando”, o ex-presidente aparece numa academia de ginástica ao som da trilha sonora do filme Rocky – Um Lutador.

“Temos de ver a questão do ponto de vista técnico, da afronta ou não à norma legal. O que interessa para a Justiça Eleitoral é a informação sobre o que é permitido ou não porque temos aí um princípio de estatura constitucional, que é a liberdade de manifestação política”, afirmou o ministro Gonzaga ao Estadão.

O Ministério Público questionou também ao TSE a participação de Lula na “inauguração popular da Transposição de Águas do São Francisco”, em evento ocorrido na cidade de Monteiro, na Paraíba, em março deste ano.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Agosto de 2018
20.08.18 16h27 » Pivetta, Russi e mais 31 são alvos de pedidos de impugnação
15.08.18 17h58 » Juiz proíbe Taques de promover programa social em campanha
14.08.18 16h21 » Selma e Leitão têm R$ 2,3 mi; suplentes somam R$ 74,4 milhões
14.08.18 09h18 » Mendes fica R$ 3 milhões "mais pobre" e declara R$ 113,4 mi
14.08.18 09h12 » Candidato à reeleição, Taques declara ter apenas um apartamento
13.08.18 16h35 » TRE nega pedidos e mantém matérias contra Mendes e Pivetta
13.08.18 16h02 » Com casas e aeronave, Fagundes tem R$ 8,9 milhões em bens
13.08.18 15h56 » Procurador mantém patrimônio; suplente é mais rico de chapa
13.08.18 15h23 » Sachetti declara R$ 5,8 milhões em bens; ex-reitora tem R$ 1,3 mi
09.08.18 17h01 » Juiz manda Facebook retirar vídeos com “adesivaço” de Selma



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet