Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Se agente público pode agir de forma discricionária, Constituição censura atitudes incoerentes
J. Eleitoral / DEFESA

Tamanho do texto A- A+
04.04.2017 | 18h13
Temer e Dilma enviam novas manifestações ao TSE
Ele pediu retirada de depoimentos; Dilma defendeu que contas não podem ser separadas
Reprodução
Temer e Dilma enviam novas manifestações ao TSE antes de julgamento
DO G1

Na véspera de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) iniciar o julgamento da chapa vencedora das eleições de 2014, os advogados do presidente Michel Temer e da ex-presidente Dilma Rousseff enviaram nesta segunda-feira (3) novas manifestações à Corte.

O julgamento da chapa que teve Dilma como candidata a presidente e Temer, como vice, começará nesta terça (4).

O tribunal apura desde 2015, a pedido do PSDB, se a chapa cometeu abuso de poder político e econômico, recebeu dinheiro de propina e se beneficiou do esquema de corrupção que atuou na Petrobras, o que a defesa nega.
 
Temer

No caso do presidente, os advogados de Temer apresentaram ao TSE parecer formulado por um jurista para pedir que sejam retirados do processo itens incluídos depois do início do caso, como depoimentos de ex-executivos da empreiteira Odebrecht.

O parecer é assinado por Luiz Fernando Casagrande Pereira, doutor em direito pela Universidade Federal do Paraná. Segundo o documento, fatos novos, que não faziam parte do pedido original, não podem ser incluídos posteriormente nesse tipo de ação.

Além de pedir a exclusão de questões recionadas à Odebrecht, a defesa de Temer solicitou novamente ao TSE que o tribunal analise separadamente as condutas dele e de Dilma. A argumentação desde o ano passado, quando o peemedebista pediu para ter as contas separadas, é que a arrecadação foi separada, embora a prestação tenha sido assinada pelos dois.
 
Dilma

A defesa da ex-presidentetambém entregou novos documentos ao Tribunal Superior Eleitoral, entre os quais planilhas referentes à prestação de contas assinada em conjunto por Dilma e Temer.

Os advogados dela destacaram novamente não ser possível separar as contas de campanha e, por isso, não se pode punir um e isentar o outro.

PSDB

Na manifestação final, o PSDB argumentou que foram coletadas provas para cassar Dilma, mas que não foram localizados indícios contra Temer.
Ministério Público

O Ministério Público Eleitoral entendeu que não se pode separar as condutas e que os dois devem ser cassados.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Abril de 2017
28.04.17 08h43 » Ministro Admar Gonzaga toma posse como titular do TSE
28.04.17 08h32 » PT, PSDB e PMDB terão que devolver R$ 10,3 milhões
24.04.17 08h45 » Ausentes têm até 2 de maio para regularizar situação
19.04.17 08h22 » Desembargador admite que assume TRE em ano difícil
17.04.17 17h50 » Márcio Vidal e Pedro Sakamoto assumem o TRE-MT
13.04.17 08h36 » TSE decide que pirataria provoca inelegibilidade
06.04.17 17h26 » Rui Ramos anuncia construção do novo fórum de VG
04.04.17 18h13 » Temer e Dilma enviam novas manifestações ao TSE
04.04.17 17h40 » Desembargador toma posse como juiz substituto no TRE
Março de 2017
21.03.17 11h13 » "Precisamos afastar o candidato do dinheiro", diz Gilmar Mendes



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet