Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Se agente público pode agir de forma discricionária, Constituição censura atitudes incoerentes
J. Eleitoral / INQUÉRITO DA PF

Tamanho do texto A- A+
14.12.2016 | 14h18
TRE arquiva investigação e manda devolver R$ 24,1 mil a deputado
Mauro Savi chegou a ser levado a Polícia Federal, com dinheiro vivo e material de campanha
Reprodução
O deputado Mauro Savi (PSB); TRE decidiu pelo arquivamento de inqueríto contra o parlamentar
DA REDAÇÃO

 

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE), seguindo o parecer do Ministério Público Eleitoral (MPE), decidiu pelo arquivamento do inquérito da Polícia Federal e determinou a devolução dos R$ 24.150,00 ao deputado estadual Mauro Savi (PSB).

Os recursos foram apreendidos no dia 12 de setembro, durante uma abordagem feita ao parlamentar pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Sorriso (420 km ao Norte da Capital). 
 
Na ocasião, Mauro Savi apresentou documentos que comprovaram a origem lícita dos recursos, mas, ainda assim, os policiais decidiram encaminhar o caso a Polícia Federal, alegando possível crime eleitoral.

Na ocasião, Mauro Savi transportava também alguns materiais, todos com nota fiscal, da campanha eleitoral do então candidato a prefeito do município, Dilceu Rossato (PSB). 

Na decisão, o TRE ressaltou que não foi identificado razões apontadas pelo MPE, pois não foi identificado a existência de crime suficientes a justificar o início de um processo penal.

"O Ministério Público frisou que não foi possível identificar nenhum eleitor que tivesse recebido dinheiro em troca de votos, inexistindo provas, portanto, de que o dinheiro encontrado com o investigado era destinado à captação ilícita de sufrágio. Dessa forma, considerando que não há respaldo mínimo para uma peça acusatória, uma vez que a conduta evidenciada nos autos - portar propaganda eleitoral e dinheiro sobretudo dentro de veículo, é atípica, de rigor, portanto, o acolhimento do pleito ministerial dada a inexistência de elementos de convicção que constituam sequer indício da ocorrência do ilícito penal de corrupção eleitoral", diz trecho da decisão.

Leia mais:

"Qual é o crime eu ter dinheiro no bolso?", questiona deputado

Deputado é encaminhado à PF após ser flagrado com R$ 24 mil


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Abril de 2017
28.04.17 08h43 » Ministro Admar Gonzaga toma posse como titular do TSE
28.04.17 08h32 » PT, PSDB e PMDB terão que devolver R$ 10,3 milhões
24.04.17 08h45 » Ausentes têm até 2 de maio para regularizar situação
19.04.17 08h22 » Desembargador admite que assume TRE em ano difícil
17.04.17 17h50 » Márcio Vidal e Pedro Sakamoto assumem o TRE-MT
13.04.17 08h36 » TSE decide que pirataria provoca inelegibilidade
06.04.17 17h26 » Rui Ramos anuncia construção do novo fórum de VG
04.04.17 18h13 » Temer e Dilma enviam novas manifestações ao TSE
04.04.17 17h40 » Desembargador toma posse como juiz substituto no TRE
Março de 2017
21.03.17 11h13 » "Precisamos afastar o candidato do dinheiro", diz Gilmar Mendes



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet