Artigos
  • JOAQUIM SPADONI
    Os salários que são pagos com nosso dinheiro devem ter critérios claros, pautados e limitados em Lei
  • RENATO NERY
    Apesar dos grande avanços, está-se liquidando o que ainda resta da nobre e festejada profissão
J. Eleitoral / DECISÃO

Tamanho do texto A- A+
17.10.2016 | 15h09
Juíza proíbe Wilson de ligar Emanuel a casos de corrupção
Maria Rosi, da 54ª Zona Eleitoral, determinou suspensão de programa eleitoral do tucano
Marcus Mesquita/MidiaNews/Reprodução
A juíza Maria Rosi (detalhe), da 54ª Zona Eleitoral, que atendeu a pedido de Emanuel Pinheiro (PMDB)
DA REDAÇÃO

A juíza Maria Rosi de Meira Borba, da 54ª Zona Eleitoral, proibiu o candidato Wilson Santos (PSDB) de veicular no programa eleitoral ou em redes sociais propaganda que tenta ligar seu adversário, Emanuel Pinheiro (PMDB), a casos de corrupção.

A decisão liminar (provisória) foi proferida na manhã desta segunda-feira (17).

Na representação eleitoral, a assessoria jurídica de Emanuel, feita pelos escritórios de advocacia Dias Lessa e Nestor Fidelis, defendeu que foi exacerbado o "direito de manifestação, já que estariam confundindo o eleitor e denegrindo a imagem do candidato ao relacioná-lo a terceiros alheios ao processo eleitoral, ferindo, assim, os direitos fundamentais  do candidato".

"Fatos delituosos"

O entendimento foi acatado pela magistrada, que deferiu a liminar. Ela deverá analisar no mérito se haverá ou não necessidade da perda do horário eleitoral e direito de resposta.

"As afirmações apresentadas no horário eleitoral pela coligação requerida [Dante de Oliveira], no meu sentir, buscam imputar, ainda que indiretamente, fatos delituosos que estão sendo apurados em desfavor de pessoas estranhas ao pleito eleitoral, ao candidato da representante", avaliou a juíza.

Sendo assim, para a magistrada, as afirmações de que "aquela turma do PMDB que fez o rapa tacho nos cofres públicos, tudinho apoia o Emanuel" "não se limitaram à realização de críticas à vida pública do candidato Emanuel Pinheiro, extrapolando, portanto, os limites legalmente permitidos e, portanto, deve ser coibida".

Leia mais:

TRE restabelece veiculação de programa eleitoral de Wilson

 

 

 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Julho de 2017
27.07.17 17h18 » TRE mantém sentença que desaprovou contas de campanha de vereador
18.07.17 17h21 » Sebastião Barbosa é designado Ouvidor Eleitoral do TRE
14.07.17 17h05 » Juiz cassa mandato de vereador de Cuiabá por abuso de poder
11.07.17 10h20 » Advogado reassume cargo de juiz no TRE de Mato Grosso
08.07.17 08h15 » Lucimar e vice são inocentados de crime de abuso do poder econômico
03.07.17 10h42 » Jayme Campos diz que Lucimar não cometeu ilícito e irá reverter decisão
Junho de 2017
28.06.17 15h12 » Juiz cita “inconformismo infundado” e nega recurso de Lucimar
21.06.17 17h35 » Defesa rebate juiz e diz que gasto com publicidade foi “irrisório”
20.06.17 14h36 » Justiça Eleitoral cassa mandato da prefeita Lucimar Campos
08.06.17 08h26 » "Esta ação não existiria não fosse eu", diz Gilmar Mendes



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet