Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    É recorrente a insatisfação e inconformismo da sociedade quanto à elevada carga tributária
  • RENATO NERY
    A imprensa diariamente notícia novos casos de apropriação do espólio da viúva
J. Federal / CASO TRIPLEX

Tamanho do texto A- A+
06.02.2018 | 17h00
TRF-4 publica íntegra da decisão que condenou Lula a 12 anos de prisão
Defesa pode entrar com recurso em até dois dias a partir da notificação
Reprodução
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
DO G1

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) publicou nesta terça-feira (6) a decisão, chamada de acórdão, do julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso do triplex em Guarujá (SP). Os desembargadores da 2ª instância decidiram aumentar a pena de Lula para 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

No processo da Operação Lava Jato, Lula é acusado de receber o imóvel como propina da empresa OAS em troca de favorecimento em contratos com a Petrobras. O ex-presidente nega as acusações e afirma ser inocente.

A partir da notificação, os advogados de Lula têm até dois dias para entrar com o recurso de embargos de declaração, já que a decisão foi unânime. A defesa é considerada intimada a partir do momento em que acessa o processo eletrônico no TRF-4. Caso não faça isso em dez dias, o prazo para recorrer começa a contar automaticamente.

Nos embargos de declaração, os advogados podem verificar se existe alguma dúvida, contradição ou explicação a ser dada pelos desembargadores sobre a decisão. Esse recurso, no entanto, não permite reverter a decisão do tribunal. Esgotadas as possibilidades de recurso no TRF-4, Lula pode ser preso.

Nesta terça-feira (30), o TRF-4 já havia divulgado o relatório do caso e a íntegra dos votos dos desembargadores João Pedro Gebran Neto e Leandro Paulsen, da 8ª turma, que analisou o recurso de Lula.

Julgamento

O julgamento do recurso do ex-presidente no TRF-4 ocorreu em 24 de janeiro em Porto Alegre. O ex-presidente havia recorrido à 2ª instância contra a condenação de 9 anos e 6 meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, responsável pelos processos da Lava Jato na 1ª instância.

Por unanimidade, os três desembargadores da 8ª Turma condenaram Lula e aumentaram a pena para 12 anos e 1 mês de prisão. Votaram no julgamento, que durou 8 horas e 15 minutos (além de uma hora de intervalo) o relator do processo, João Pedro Gebran Neto; o revisor, Leandro Paulsen, e o desembargador Victor dos Santos Laus.

Os juízes entenderam que havia provas de que o triplex em Guarujá foi reformado pela OAS para o ex-presidente e que ele receberia o imóvel como propina para favorecer a empresa em contratos com a Petrobras.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Junho de 2018
19.06.18 17h48 » Juiz nega recurso e ex-prefeito e juíza permanecem réus em ação
12.06.18 15h02 » Pela 1ª vez, Moro abre mão de julgar processo da Lava Jato
11.06.18 17h28 » Moro aponta 'propaganda' a favor de Lula e interrompe escritor
11.06.18 17h22 » Juiz manda desmembrar ação penal contra Eder e ex-Bic Banco
11.06.18 16h59 » Ex-deputado é condenado por contratar empregada como "fantasma"
01.06.18 17h25 » Moro revoga mandado de prisão contra operador financeiro da Odebrecht
Maio de 2018
30.05.18 09h31 » TRF devolve a Lula prerrogativas de ex-presidente da República
30.05.18 08h18 » Juiz federal corta 28,86% dos salários dos professores da UFMT
25.05.18 16h47 » Justiça marca interrogatório de Mauro em ação de improbidade
16.05.18 17h40 » Maioria do TRF-1 nega retorno de Gilmar Fabris para a prisão



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet