Artigos
  • Ao constatar que seu cartão foi clonado, o consumidor deve imediatamente comunicar o fato a operadora do cartão realizando a contestação das compras que não realizou
  • LEONARDO CAMPOS
    Indispensável na solução de conflitos e no amadurecimento da sociedade
J. Federal / PRESO HÁ 15 ANOS

Tamanho do texto A- A+
23.01.2018 | 14h35
Juiz parcela em quatro vezes fiança de R$ 80 mil de João Arcanjo
Ex-bicheiro aguarda decisão do juiz da Vara de Execuções Penais para progressão de regime
Assessoria
Ex-bicheiro, João Arcanjo, está preso na Penitenciária Central do Estado
CÍNTIA BORGES
DA REDAÇÃO

O juiz João Pessoa de Azanbuja, da Quinta Vara Federal em Mato Grosso, autorizou o parcelamento em quatro vezes da fiança de R$ 80 mil imposta ao ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro.

A decisão, do dia 18 de janeiro, estabelece para que a primeira parcela seja paga até o dia 20 de fevereiro deste ano.

A fiança diz respeito ao processo por de crime de lavagem de dinheiro a que o ex-bicheiro responde na Vara Federal.

O valor foi estipulado pelo juiz Paulo Cézar Alves Sodré, da 7ª Vara da Justiça Federal em Mato Grosso, em novembro passado.

Na decisão, o juiz ainda impôs o uso de tornozeleira eletrônica e o comparecimento mensal ao Juízo como medidas cautelares.

Essa é uma das etapas para a soltura em definitivo do ex-bicheiro, que está preso há 15 anos, e desde setembro na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá.

A defesa do ex-bicheiro pediu a progressão de regime do fechado para o semiaberto.  

Agora, segundo seu advogado Paulo Fabrinny, Arcanjo aguarda apenas a decisão do juiz da Vara de Execuções Penais e audiência admonitória, que é aquela em que o magistrado impõe condições para a progressão de regime.

Caminho à liberdade

Em novembro, a defesa de Arcanjo havia entrado com pedido de progressão de pena (para o regime semiaberto) e pediu um exame psiquiátrico para atestar que ele estaria apto a deixar a prisão.

O exame constatou que Arcanjo tem “baixa probabilidade” de cometer novos atos de violência e atos ilícitos.

No processo para conquistar a progressão de pena, Arcanjo ainda teve 18 prisões preventivas revogadas. Elas haviam sida decretadas pela juíza Selma Arruda, da Vara Contra Crime Organizado da Capital, em 2016.

Condenações

João Arcanjo está há 15 anos na prisão, condenado pelo assassinato do empresário Sávio Brandão, dono do jornal Folha do Estado (já extinto),entre os outros crimes.

O ex-bicheiro está preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), no bairro Pascoal Ramos, em Cuiabá, desde setembro, após ser transferido da Penitenciária Federal de Mossoró (RN).

Ele foi considerado o chefe do crime organizado, nas décadas de 80 e 90 em Mato Grosso. Foi condenado por crimes que vão de assassinatos a lavagem de dinheiro e contrabando.

Somadas, as penas chegam a 82 anos e seis meses de prisão.

Leia mais sobre o assunto:

Juiz estipula R$ 80 mil de fiança e Arcanjo fica perto da liberdade

Juiz pede explicação sobre 20 mandados contra Arcanjo

Desembargador do TJ revoga 18 prisões preventivas de Arcanjo


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Agosto de 2018
16.08.18 16h09 » Pai de ex-secretário é absolvido por lavagem de dinheiro
14.08.18 09h15 » Sérgio Moro manda prender ex-executivos da Mendes Júnior
13.08.18 17h11 » Juiz federal absolve Arcanjo e manda restituir fiança de R$ 80 mil
09.08.18 17h38 » Juiz manda retirar nome de candidato de "lista suja" do TCU
07.08.18 16h59 » TRF e TRT determinam apuração de votos na eleição da Fiemt
07.08.18 10h21 » Juiz determina destruição de votos em urna; PF vai acompanhar
03.08.18 15h57 » Juiz federal volta a suspender eleição para presidência da Fiemt
Julho de 2018
30.07.18 18h12 » Sérgio Moro pede explicações para defesa de Cândido Vaccarezza
27.07.18 16h12 » Ministro do STF determina soltura de empresário preso na Bereré
23.07.18 10h23 » Novelli pede ao STF a quebra de sigilo de conselheira substituta



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet