Artigos
  • THAYSON HENRIQUE MOTA
    Tribunais inferiores continuavam a proferir decisões pela formação de grupo econômico sustentando o poder de comando em face da mera identidade de sócios
  • RODRIGO CARVALHO
    Não cabe a nenhum órgão de controle interno ou externo e ao Judiciário criar limites à função do procurador
  • RENATO NERY
    Quanta gente não se embriagou com milionários cargos públicos supridos pela desenfreada corrupção?
  • VICTOR MAIZMAN
    A Constituição impõe que no tocante ao ICMS, quanto mais essencial for o produto ou serviço, menor deve ser a alíquota
J. Federal / MEDICINA NO EXTERIOR

Tamanho do texto A- A+
01.05.2017 | 16h28
CRM de SP aciona UFMT para suspender revalidação de diplomas
Cremesp alega que o processo revalidação de diplomas utilizado pela universidade não é legítimo
MidiaNews/Reprodução
Mauro Gomes Lima, presidente do Cremesp, que entrou com uma ação contra a UFMT
VINICIUS MENDES
DO MIDIANEWS

O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) está movendo uma ação civil pública contra a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) para suspender imediatamente o processo atual de revalidação dos diplomas de alunos que estudaram em instituições estrangeiras.

O processo foi distribuído para a 3ª Vara Federal de Cuiabá e está com o juiz federal Cesar Augusto Bearsi.

A ação foi assinada em conjunto com o Conselho Federal de Medicina (CFM).

Segundo o Cremesp, o processo de revalidação de diplomas médicos junto à UFMT vem sendo acompanhando pelos Conselhos de Medicina - tanto de São Paulo quanto pelo Federal (CFM) - há algum tempo em razão de denúncias recebidas de médicos

O Conselho entrou com a ação após ver uma nota da Santa Casa de Valinhos (SP), que divulgava a contratação de estagiários, entre eles os alunos que tiveram seu diploma validado pela UFMT, mas que haviam sido reprovados pelo Exame Revalida, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Nacionais Anísio Teixeira (Inpe).

O Cremesp defende o Revalida como o único exame nacional de revalidação de diplomas estrangeiros e alega que a UFMT permite que um aluno reprovado neste exame faça um estágio de 2.250 horas para conseguir o diploma, sem se submeter a uma nova prova.

Os estagiários atendem na Santa Casa de Valinhos atuando na enfermaria, pronto-atendimento, pediatria e em pacientes internados, tudo sem supervisão, conforme o Cremesp.

Os alunos que se formam nos cursos de Medicina no Brasil fazem os dois últimos anos em sistema de internato, no qual aprendem na prática, e com supervisão, ajudando no atendimento médico dentro do hospital, e isso não acontece em todos os países.

O Cremesp acredita que é por isso que estes profissionais têm dificuldade em passar na prova que faz com que o diploma da faculdade estrangeira seja válido no país.

Por meio de uma nota, a UFMT disse que seu processo de revalidação dos diplomas de médicos estrangeiros é considerado um dos mais rigorosos do Brasil, tendo uma taxa de aprovação de 12,81%, enquanto a média nacional gira em torno de 40%.

Além disso a universidade alega que a comissão que faz a revalidação visita regularmente as instituições conveniadas para acompanhar in loco o período de estágio dos revalidandos.

Ainda segundo a UFMT, o edital do processo de revalidação de médicos estrangeiros é regido pela Constituição Federal, pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional por resoluções do Conselho Nacional da Educação (CNE), portarias normativas do Ministério da Educação (MEC) e decisões dos Conselhos Diretivos (CD) e da Faculdade de Medicina (FM) da UFMT, "garantindo a legalidade, a transparência do processo e a qualidade da formação profissional".

Sobre a atuação dos médicos estagiários colocar em risco os pacientes, como alega o Cremesp, a Santa Casa de Valinhos disse ser uma afirmação perigosa e que não é verdadeira.

A instituição também garantiu ter feito uma consulta sobre o contrato dos estagiários ao Cremesp e ao Conselho Federal de Medicina, mas não recebeu resposta.

O Ministério da Educação diz que o processo não envolve o MEC e que os hospitais universitários são geridos ou pela própria universidade, ou por um órgão ligado ao ministério.

 

 

 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2017
14.10.17 11h25 » Justiça determina votação aberta no caso Aécio Neves
13.10.17 17h32 » Justiça intima Mendes a explicar acusações contra magistrado
09.10.17 17h52 » Moro ordena que Lula esclareça se tem recibos originais de aluguel
Setembro de 2017
18.09.17 15h34 » Não cabe ao Judiciário controlar conteúdo do Big Brother Brasil, decide TRF-3
18.09.17 15h25 » Juiz federal do DF libera tratamento de homossexualidade como doença
13.09.17 16h57 » 'Eu vi Palocci mentir aqui esta semana', diz Lula a Moro
11.09.17 17h37 » Juiz do DF reavalia decisão e suspende acordo de leniência da J&F
11.09.17 17h05 » Juiz recebe acusação contra ex-prefeitos e ex-secretários de VG
Agosto de 2017
30.08.17 09h11 » Moro não vai ouvir advogado que o acusa de "negociações paralelas"
17.08.17 11h13 » Juiz pode proibir advogados de usar celular em audiência, decide TRF-4



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet