Artigos
  • SÂMYA SANTAMARIA E CLAUDINÉIA SIMON
    Se o seu tataravô praticou um dano ambiental na área rural que agora é de sua propriedade, você irá responder pelo dano
J. Federal / LAVA JATO

Tamanho do texto A- A+
30.03.2017 | 18h31
Eduardo Cunha é condenado a 15 anos de prisão por corrupção
Sentença do juiz federal Sérgio Moro é desta quinta-feira (30)
Reprodução
O deputado cassado Eduardo Cunha, condenado por corrupção
ALANA FONSECA, BIBIANA DIONÍSIO E THAIS KANIAK
DO G1

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, condenou nesta quinta-feira (30) o deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) a 15 anos e 4 meses de reclusão. Esta é a primeira condenação dele.

Eduardo Cunha foi condenado por corrupção passiva pela solicitação e recebimento de vantagem indevida no contrato de exploração de petróleo em Benin, na África, por três crimes de lavagem de dinheiro e dois crimes de evasão fraudulenta de divisas.

A defesa do deputado cassado informou que vai recorrer ao Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, em Porto Alegre (RS).

O ex-presidente da Câmara foi preso no dia 19 de outubro de 2016, em Brasília (DF). Atualmente, ele está detido no Complexo Médico-Penal em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (PR).

Sérgio Moro absolveu o deputado cassado de lavagem de dinheiro em relação uma transferência bancária internacional porque, de acordo com o juiz, os valores não foram provenientes de vantagem indevida, e de evasão de divisas em relação à omissão de saldo de contas mantidas no exterior.

"O condenado recebeu vantagem indevida no exercício do mandato de Deputado Federal, em 2011. A responsabilidade de um parlamentar federal é enorme e, por conseguinte, também a sua culpabilidade quando pratica crimes. Não pode haver ofensa mais grave do que a daquele que trai o mandato parlamentar e a sagrada confiança que o povo nele deposita para obter ganho próprio. Agiu, portanto, com culpabilidade extremada, o que também deve ser valorado negativamente", afirmou o juiz federal na sentença.

Segundo a sentença, Eduardo Cunha recebeu cerca de US$ 1,5 milhão – atualmente de cerca de R$ 4.643.550.

Na denúncia oferecida à Justiça Federal, o Ministério Público Federal (MPF) acusou Eduardo Cunha de receber propina em contrato da Petrobras para a exploração de petróleo no Benin.

Ação civil

Na Justiça Federal do Paraná, Cunha responde ainda a uma ação civil de improbidade administrativa, também movida no âmbito da Operação Lava Jato, que alega a formulação de um esquema entre os réus visando o recebimento de vantagem ilícita proveniente de contratos da Petrobras. A ação corre na 6ª Vara Cível.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Junho de 2018
12.06.18 15h02 » Pela 1ª vez, Moro abre mão de julgar processo da Lava Jato
11.06.18 17h28 » Moro aponta 'propaganda' a favor de Lula e interrompe escritor
11.06.18 17h22 » Juiz manda desmembrar ação penal contra Eder e ex-Bic Banco
11.06.18 16h59 » Ex-deputado é condenado por contratar empregada como "fantasma"
01.06.18 17h25 » Moro revoga mandado de prisão contra operador financeiro da Odebrecht
Maio de 2018
30.05.18 09h31 » TRF devolve a Lula prerrogativas de ex-presidente da República
30.05.18 08h18 » Juiz federal corta 28,86% dos salários dos professores da UFMT
25.05.18 16h47 » Justiça marca interrogatório de Mauro em ação de improbidade
16.05.18 17h40 » Maioria do TRF-1 nega retorno de Gilmar Fabris para a prisão
Abril de 2018
28.04.18 10h52 » TRF-1 nega devolver R$ 790 mil a empresário alvo da Ararath



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet