Artigos
  • HÉLCIO CORRÊA
    Tanta tirania e distorção como falsa defesa da ordem jurídica. Aqui toda autocracia judicial tem custo alto e perigoso à democracia
  • VICTOR MAIZMAN
    É preciso que o empreendedor tenha conhecimento dos seus direitos assegurados não apenas na legislação, como na própria Constituição Federal
J. Federal / CADEIRA NO TCE

Tamanho do texto A- A+
11.01.2017 | 14h11
PF obteve cópia de emails e recibo de depósito a Alencar
Segundo as investigações da Ararath, Leonardo Soares, filho de Alencar, enviou emails com contas
Divulgação
O ex-conselheiro Alencar Soares, que teria vendido sua vaga a Sérgio Ricardo: depósito
DA REDAÇÃO

Investigações feitas pela Polícia Federal, durante buscas e apreensões da Operação Ararath, indicaram que os filhos do ex-conselheiro Alencar Soares, do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), teriam recebido parte do dinheiro destinado à suposta “venda” de sua vaga ao então deputado estadual Sérgio Ricardo, atual conselheiro que foi afastado do cargo por decisão judicial.

Segundo a PF, os documentos e anotações apreendidos mostram que pelo menos R$ 4 milhões foram pagos. A vaga teria sido negociada por R$ 12 milhões.

Agentes da Polícia Federal encontraram e-mails de Leonardo Valoes Soares, filho de Alencar, ao empresário Júnior Mendonça.

Um dos e-mails de Leonardo, datado de 16 de março de 2010, indica três contas correntes para depósitos: uma em nome dele próprio, com a indicação de R$ 38.000,00, e outra em nome de seu irmão, Leandro Valoes Soares, com a indicação de valor de R$ 12.000,00 a ser depositado".

Email enviado por Leando Soares a Júnior Mendonça, indicando contas para depósitos:

De acordo com documentos apreendidos, no dia 01 de abril de 2010, o Mendonça recebeu outro email de Leandro Soares.

Desta vez, a mensagem indicava os dados bancários do ex-conselheiro, para outro depósito.

A transferência foi realizada no mesmo dia, conforme comprovante de transferência apreendido.

Segundo o inquérito da Polícia Federal, Júnior Mendonça, sob orientação do então secretário de Estado Eder Moraes, usou outras contas para “ocultar a origem e natureza dos recursos”.

Uma delas teria sido a da empresa Paz Administradora de Ativos Ltda, cujos comprovantes indicam o recebimento de R$ 2,5 milhões.

Outro email indicando número de conta; ao lado, o comprovante do depósito:

De acordo com as cópias de comprovantes obtidos pela Policia Federal, foram realizados vários depósitos em cheques, em 2009: R$ 300 mil, no dia 02; R$ 200 mil no dia 03; R$ 250 mil no dia 08; e R$ 1,75 milhão no dia 11.

Um outro depósito, no valor de R$ 250 mil, teria sido realizado no dia 08 de dezembro de 2009.

Extrato de depósitos à Paz Administradora de Valores: R$ 1,75 milhão:


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2017
16.10.17 17h58 » Joesley e Wesley viram réus por manipulação de mercado
14.10.17 11h25 » Justiça determina votação aberta no caso Aécio Neves
13.10.17 17h32 » Justiça intima Mendes a explicar acusações contra magistrado
09.10.17 17h52 » Moro ordena que Lula esclareça se tem recibos originais de aluguel
Setembro de 2017
18.09.17 15h34 » Não cabe ao Judiciário controlar conteúdo do Big Brother Brasil, decide TRF-3
18.09.17 15h25 » Juiz federal do DF libera tratamento de homossexualidade como doença
13.09.17 16h57 » 'Eu vi Palocci mentir aqui esta semana', diz Lula a Moro
11.09.17 17h37 » Juiz do DF reavalia decisão e suspende acordo de leniência da J&F
11.09.17 17h05 » Juiz recebe acusação contra ex-prefeitos e ex-secretários de VG
Agosto de 2017
30.08.17 09h11 » Moro não vai ouvir advogado que o acusa de "negociações paralelas"



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet