Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Tratamento diferenciado imposto pela Constituição será benéfico e não maléfico às empresas de pequeno porte
  • FELIPE GUERRA
    Infelizmente, hoje os cidadãos mostram-se incapazes de fazer coisas que não lhes tragam gratificação pessoal
J. Federal / REPATRIAÇÃO

Tamanho do texto A- A+
12.12.2016 | 15h25
VG obtém liminar obrigando União a depositar dinheiro em juízo
Prefeitura garante ainda ter entre R$ 2,8 milhões e R$ 4,3 milhões a receber do Governo Federal
MidiaNews/Reprodução
O juiz federal César Augusto Bearsi, que atendeu a pedido da Prefeitura de Várzea Grande
DA REDAÇÃO

O juiz federal César Augusto Bearsi, da 3ª Vara Cível de Mato Grosso, atendeu a reclamação do Município de Várzea Grande contra o Governo Federal e determinou a retenção e depósito em juízo de parte dos recursos referentes às multas arrecadadas na primeira fase do programa de repatriação de dinheiro mantido no exterior.

A decisão foi proferida no último dia 9 de dezembro.

Na semana passada, a Prefeitura de Cuiabá já havia obtido uma decisão liminar semelhante.

O valor total das multas ficou em R$ 24,5 bilhões. A Lei de Repatriação regularizou R$ 169,9 bilhões de brasileiros depositados no exterior.

As estimativas do Executivo apontam que Várzea Grande tem entre R$ 2,8 milhões e R$ 4,3 milhões a receber a titulo de multas.

“São recursos que pertencem a Várzea Grande e a sua gente e não pode abrir mão, pois eles serão aplicados em benefício do povo e da cidade”, se limitou a dizer a prefeita Lucimar Campos.

A interpretação dos municípios é que todo o montante arrecadado a título de Imposto de Renda pago por contribuintes que aderiram ao Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária, além da multa tributária no valor de 100% sobre o IR, pela declaração tardia, seria incluído na base de cálculo das transferências destinadas ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O Governo Federal entende que apenas o relativo ao Imposto de Renda seria destinado às prefeituras.

“Nosso papel foi demonstrar à Justiça Federal que decisão da ministra Rosa Webber, do Supremo Tribunal Federal (STF), já havia determinado a retenção em conta à disposição da Justiça de valores reclamados pelos Estados”, frisou a procuradora-geral do município, Sadora Xavier.

“Portanto, acolho integralmente a fundamentação constante do referido decisum, a qual adoto como razão de decidir, para deferir parcialmente o pedido de liminar, apenas na mesma e exata forma entendida como adequada pela Nobre Ministra, determinar o depósito, em conta judicial à disposição deste juízo, do valor correspondente do Fundo de Participação dos Estados relativo ao autor, incidente sobre a multa a que se refere o art. 8º da Lei nº 13.254/16”, escreveu César Bearsi.

Leia mais:

Cuiabá obtém liminar obrigando União a depositar recurso


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Setembro de 2017
18.09.17 15h34 » Não cabe ao Judiciário controlar conteúdo do Big Brother Brasil, decide TRF-3
18.09.17 15h25 » Juiz federal do DF libera tratamento de homossexualidade como doença
13.09.17 16h57 » 'Eu vi Palocci mentir aqui esta semana', diz Lula a Moro
11.09.17 17h37 » Juiz do DF reavalia decisão e suspende acordo de leniência da J&F
11.09.17 17h05 » Juiz recebe acusação contra ex-prefeitos e ex-secretários de VG
Agosto de 2017
30.08.17 09h11 » Moro não vai ouvir advogado que o acusa de "negociações paralelas"
17.08.17 11h13 » Juiz pode proibir advogados de usar celular em audiência, decide TRF-4
14.08.17 17h40 » Justiça condena 3 acusados de fraude em obra de R$ 3 mi em MT
12.08.17 16h50 » Eder: acusação de Silval é "falsa, irresponsável e equivocada"
11.08.17 16h15 » Justiça investiga morador de MT que ofendeu Moro na internet



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet