Artigos
  • VINÍCIUS SEGATTO
    Você já se questionou por qual razão ele existe, qual a sua verdadeira aplicabilidade ou, até mesmo, qual é ou será o seu destino?
J. Estadual / JUSTIÇA

Tamanho do texto A- A+
10.04.2018 | 10h48
Cinco juízes disputam a vaga deixada por Selma Arruda; confira
Remoção será por critério de merecimento; atual substituto também concorre

Alair Ribeiro/MidiaNews
A juíza Selma Arruda, que se aposentou para ingressar na política
LUCAS RODRIGUES
DA REDAÇÃO

Cinco juízes estaduais se inscreveram para assumir a vaga deixada pela juíza Selma Arruda na chefia da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, também conhecida como Vara Contra o Crime Organizado.

A vaga foi aberta em razão da aposentadoria da magistrada, no final do mês passado, que deixou a judicatura para concorrer a uma vaga no Senado nas eleições deste ano.

Se inscreveram os seguintes juízes:

Ana Cristina Silva Mendes, da 10ª Vara Criminal de Cuiabá;

Edson Dias Reis, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Rondonópolis;

Eduardo Calmon de Almeida Cezar, da Vara de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Várzea Grande;

Gonçalo Antunes de Barros Neto, do 8º Juizado Especial Cível de Cuiabá;

Marcos Faleiros, atual titular da 7ª Vara Criminal em substituição à Selma.

As inscrições dos cinco magistrados serão analisadas pelo presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), desembargador Rui Ramos Ribeiro.

Ele irá avaliar se os candidatos cumprem os requisitos para a remoção, no caso, a declaração de residência permanente na comarca que jurisdiciona, certidão de inexistência de processos conclusos fora dos prazos legais e também a comprovação de não ter dado causa a adiamento injustificado de audiência, nos últimos dois anos.

Caso todos eles cumpram as exigências, os nomes serão levados para o Pleno do Tribunal de Justiça, para a votação dos 30 desembargadores que compõem o órgão.

O critério para a escolha será o de merecimento, portanto, será avaliado o talento e desempenho de cada magistrado, além de critérios como presteza, produtividade e qualificação profissional.

A Vara Contra o Crime Organizado da Capital é responsável por julgar crimes praticados por organizações criminosas, bem como os delitos praticados contra a Ordem Tributária, Econômica e as Relações de Consumo e os Crimes de Lavagem Econômica e contra a Administração Pública, praticados em Cuiabá.

Nesta vara tramitam centenas de ações de grande complexidade, entre elas as ações derivadas de operações contra a corrupção envolvendo políticos, empresários e servidores.

Veja as fotos dos juízes que se candidataram à vaga:

 


Galeria de Fotos:
Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Dezembro de 2018
12.12.18 17h17 » TJ mantém condenação por morte de criança eletrocutada em VG
10.12.18 17h16 » TJ libera Paulo Taques para baile de formatura do filho
10.12.18 14h45 » Juiz determina retorno de prefeita ao citar irregularidade em afastamento
10.12.18 11h00 » TJMT adquire detectores de metal para as 79 comarcas
07.12.18 15h25 » TJ vê culpa de passageira que perdeu o braço e reduz indenização
06.12.18 17h30 » Ex-vereador de Cuiabá e mais oito são condenados à prisão
03.12.18 13h55 » Juiz nega inclusão de 2 empresas em recuperação de grupo
03.12.18 13h02 » Deputados devem se defender contra decisão que aceitou denúncia
Novembro de 2018
30.11.18 17h15 » TJ mantém condenação de mãe que fez filha comer fezes em MT
29.11.18 16h03 » TJ impõe multa a Romoaldo após condenação por improbidade



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet