Artigos
  • GILMAR MENDES
    Esse procedimento acaba sendo o meio para coibir interpretações equivocadas e mesmo abusos na prisão
  • ELVIS KLAUK JR
    Antes de fechar negócio é muito importante verificar se o imóvel está com os respectivos documentos em ordem
  • PAULO LEMOS
    Na política, há um quadro crônico e agudo de delírios, alucinações, desejos, impulsos e compulsões
J. Estadual / REGIME SEMIABERTO

Tamanho do texto A- A+
20.12.2017 | 11h08
Exame psiquiátrico atesta que Arcanjo está apto a deixar prisão
Ex-bicheiro responde por outros crimes; defesa acredita em liberdade após recesso forense
Reprodução
Condenado pelo assassinato do empresário Sávio Brandão, entre outros crimes, Arcanjo está preso na Penitenciária Central do Estado (PCE)
CÍNTIA BORGES
DA REDAÇÃO

Um exame psiquiátrico, realizado na semana passada, atestou que o ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro está apto para deixar a prisão, após 15 anos de reclusão.

O laudo do exame foi encaminhado ao juiz Jorge Luiz Rodrigues, da 2ª Vara Criminal da Capital, nesta terça-feira (19).

No pedido da defesa, realizado em novembro, o advogado Paulo Fabrinny Medeiros alegou que Arcanjo tem 66 anos e, por isso, pediu que a pena seja progredida para o regime semiaberto.

Condenado pelo assassinato do empresário Sávio Brandão, entre os outros crimes, o ex-bicheiro está preso na Penitenciária Central do Estado (PCE) desde setembro, após ser transferido da Penitenciária Federal de Mossoró (RN).

Com o laudo, a soltura de Arcanjo deve ser facilitada, mas não está garantida. Isso porque, mesmo com novos cálculos relativos ao regime semiaberto, ainda há um mandado de prisão preventiva na 5ª Vara Federal de Mato Grosso.

O advogado disse ao MidiaNews que, ainda sim, a esperança é de que Arcanjo saia da prisão logo após o recesso forense, que teve início nesta quarta-feira (20) e termina no dia 6 de janeiro.

“O laudo é uma das etapas importantes, mas ainda há outras. Creio que ele sairá após o recesso”, disse o advogado.

O exame foi realizado pela psiquiatra Luiza Forte Stuchi, no dia 13 de dezembro, e teve duração de aproximadamente 7 horas. 

O estudo concluiu que Arcanjo tem “baixa probabilidade” de cometer novos atos de violência e atos ilícitos.

De acordo com o laudo, o ex-bicheiro demonstrou “amadurecimento” nestes 15 anos de prisão. Ele afirma que está arrependido dos delitos e se mostrou arrependido. “Quero reiniciar minha vida”, disse à psiquiatra.

Por determinação judicial, o valor do exame, R$ 2 mil, foi pago por familiares do ex-bicheiro.

Condenações

João Arcanjo Ribeiro foi considerado o chefe do crime organizado nas décadas de 80 e 90 em Mato Grosso.

O ex-bicheiro foi condenado por crimes que vão de assassinatos a lavagem de dinheiro e contrabando.

Somadas, as penas chegam a 82 anos e seis meses de prisão.

Leia mais sobre o assunto:

Juiz determina perícia em Arcanjo, que tenta o regime semiaberto


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Janeiro de 2018
18.01.18 10h24 » Desembargador do TJ revoga 18 prisões preventivas de Arcanjo
18.01.18 09h07 » Juiz autoriza mudança de nome e gênero de transexual de Cuiabá
17.01.18 10h31 » Advogado: personal nega crime e deverá processar acusadores
15.01.18 15h28 » Silval: "Me arrependo por tudo; estou colaborando com a Justiça”
15.01.18 15h15 » Cliente é indenizado por ter o nome inserido indevidamente no Serasa
13.01.18 09h26 » Veja quem são os magistradas plantonistas do fim de semana
11.01.18 15h07 » TJ: Governo não pagou duodécimos de novembro e dezembro
10.01.18 07h52 » Juiz pede explicação sobre 20 mandados contra Arcanjo
08.01.18 17h15 » Tribunal condena DAE de VG a indenizar cliente em R$ 5 mil
08.01.18 17h11 » Banco é condenado por firmar contrato com assinatura falsa



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet