Artigos
  • GILMAR MENDES
    Esse procedimento acaba sendo o meio para coibir interpretações equivocadas e mesmo abusos na prisão
  • ELVIS KLAUK JR
    Antes de fechar negócio é muito importante verificar se o imóvel está com os respectivos documentos em ordem
  • PAULO LEMOS
    Na política, há um quadro crônico e agudo de delírios, alucinações, desejos, impulsos e compulsões
J. Estadual / EXECUÇÃO

Tamanho do texto A- A+
19.12.2017 | 16h21
Por falta de segurança, juiz manda transferir acusados de matar prefeito
Magistrado pediu que Corregedoria da Polícia Civil apure suposta agressão por parte de policiais aos presos
Divulgação/PM
Os suspeitos pelo assassinato de prefeito foram presos no último sábado
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O juiz Ricardo Frazão Menegute, da Vara Única de Colniza (a 1.065 km de Cuiabá), converteu a prisão em flagrante de Antônio Pereira Rodrigues Neto,  Zenilton Xavier de Almeida e Welisson Brito Silva, em preventiva.

Eles são acusados de assassinar o prefeito Esvandir Antonio Mendes, de 61 anos, na sexta-feira (15). Ele foi morto dentro de sua Toyota SW4 preta. 

Na decisão desta segunda-feira (18), o magistrado também determinou a transferência dos suspeitos para a Cadeia Pública de Juína (737 km da Capital), diante da falta de segurança da Cadeia Pública de Colniza.

“Inclusive no local ocorreu uma tentativa de fuga há menos de um mês, aliada à repercussão nacional dada ao fato, a referida unidade prisional não comporta o recebimento dos presentes custodiados. Assim sendo, por razões de segurança, determino a remoção dos custodiados à Comarca de Juína”, afirmou o juiz na decisão.

Inclusive no local ocorreu uma tentativa de fuga há menos de um mês, aliada à repercussão nacional dada ao fato, a referida unidade prisional não comporta o recebimento dos presentes custodiados

Ricardo Frazão Menegute determinou ainda que a Corregedoria da Polícia Civil e o Ministério Público Estadual apurem eventual excesso praticado por parte dos policiais civis contra os presos.

Eles alegam que sofreram coação moral e física dos policiais.

O crime

O prefeito Esvandir Mendes conduzia uma Toyota SW4, quando foi interceptado pelos criminosos, que estavam em um veículo SUV preto, a cerca de 7 quilômetros da entrada de Colniza.

O veículo foi ao encontro da caminhonete do prefeito e vários disparos foram feitos contra ele, que ainda conseguiu dirigir, mas morreu no perímetro urbano, na BR-174, na esquina com a Rua 7 de Setembro. 

Outros dois disparos feriram o secretário Admilson Ferreira, 41 anos, sendo um na perna esquerda e outro nas costas. Ele passa bem.

Os suspeitos foram presos em uma estrada entre os municípios de Juruena e Castanheira (880 e 735 km a Noroeste da Capital, respectivamente).

Eles estavam em um Fiat Uno cinza, quando foram abordados, cerca de 20 km após Castanheira, por uma viatura da Polícia Civil.

Dentro do automóvel, foram apreendidos R$ 60 mil em dinheiro. O montante estava em pacotes do Banco do Brasil.

A suspeita da Polícia Civil é de que Mendes tenha sido morto em razão de uma dívida.

Os acusados devem responder pelos crimes de homicídio qualificado por motivo fútil, promessa de recompensa e recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

Leia mais:

Taques cita agilidade da polícia e anuncia reforço em Colniza

Polícia diz que prefeito pode ter sido executado por dívida


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Janeiro de 2018
18.01.18 10h24 » Desembargador do TJ revoga 18 prisões preventivas de Arcanjo
18.01.18 09h07 » Juiz autoriza mudança de nome e gênero de transexual de Cuiabá
17.01.18 10h31 » Advogado: personal nega crime e deverá processar acusadores
15.01.18 15h28 » Silval: "Me arrependo por tudo; estou colaborando com a Justiça”
15.01.18 15h15 » Cliente é indenizado por ter o nome inserido indevidamente no Serasa
13.01.18 09h26 » Veja quem são os magistradas plantonistas do fim de semana
11.01.18 15h07 » TJ: Governo não pagou duodécimos de novembro e dezembro
10.01.18 07h52 » Juiz pede explicação sobre 20 mandados contra Arcanjo
08.01.18 17h15 » Tribunal condena DAE de VG a indenizar cliente em R$ 5 mil
08.01.18 17h11 » Banco é condenado por firmar contrato com assinatura falsa



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet