Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato
J. Estadual / CONDENAÇÃO

Tamanho do texto A- A+
01.12.2017 | 16h14
Ex-deputado estadual comparece ao Fórum e evita prisão
Pery Taborelli, que é coronel da Polícia Militar, não teria comparecido a audiências
Arquivo
O ex-deputado estadual Peri Taborelli, que se apresentou
ARTHUR SANTOS SILVA
DO OLHAR DIRETO

O ex-deputado estadual coronel Pery Taborelli compareceu no início da tarde desta sexta-feira (1) à Segunda Câmara Criminal de Cuiabá. A ida evitou sua  detenção. Havia um pedido de prisão contra o ex-parlamentar por falta de apresentação em audiência.

Taborelli foi condenado, em março deste ano, a 2 anos e 4 meses de prisão em regime semiaberto. Ele se apresentou acompanhado do advogado Marcelo Coelho.
 
Uma das condições impostas era que o ex-deputado comparecesse a audiência no dia 27 de setembro.

Todavia, o oficial de justiça responsável por intimá-lo não o encontrou no endereço informado nos autos do processo, o 4º Batalhão de Polícia Militar de Várzea Grande, onde o coronel aposentado trabalhava.
 
No dia 31 de outubro a Segunda Câmara Criminal determinou a expedição do mandado de prisão contra Taborelli.
 
Entenda o caso

Taborelli foi acusado pelo Ministério Público Estadual (MPE) de ter conduzido e prendido adolescentes de maneira violenta durante a festa dos 150 anos do município de Rosário Oeste, nos dias 24 e 25 de julho de 2011.
 
Conforme o relato, o então Policial Militar teria se irritado com a desorganização da festa e a suposta venda de bebidas alcóolicas a adolescentes.

Por conta disso, o ex-deputado foi condenado, inicialmente, a 4 anos, 2 meses e 23 dias de detenção, além do pagamento de R$ 30 mil para reparação dos danos causados às vítimas.
 
A sentença foi proferida em agosto de 2015, pelo juiz Ednei Ferreira dos Santos, mas foi reformulada no dia 29 de março deste ano, com a redução da pena anterior e a anulação da multa.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Dezembro de 2017
17.12.17 09h30 » Justiça mantém condenação a blogueiro que ofendeu deputada
17.12.17 09h15 » Presidente do TJ determina desbloqueio da Conta Única do Estado
17.12.17 09h00 » Deputado processa corretor que o chamou de “maior ladrão de MT”
15.12.17 16h04 » Juiz proíbe restaurante do Parque das Águas de servir 12 pratos
15.12.17 13h52 » Dona de abrigo é condenada a indenizar cada idoso em R$ 10 mil
14.12.17 15h05 » TJ rejeita denúncia contra promotor acusado de agredir ex-mulher
14.12.17 14h30 » Oito votam por aposentar e seis por absolver juiz de Cuiabá
14.12.17 10h00 » Ex-secretário é condenado a quatro anos de prisão por esquema
13.12.17 16h23 » TJ-MT determina soltura de agente do Gaeco acusado de extorsão
13.12.17 14h00 » Empresa terá que indenizar passageira que ficou sem braço



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet