Artigos
  • VILSON NERY
    Li as propostas dos três candidatos, e separei as palavras “agricultura” e agronegócio” em seu contexto no plano de governo, para dar qualidade à minha pretensão
  • JOÃO PAULO OLIVEIRA
    No processo eleitoral atual há uma enorme preocupação com relação a informações falsas que são passadas no que tange a uma série de situações e candidatos
J. Estadual / MANDADO DE SEGURANÇA

Tamanho do texto A- A+
26.10.2017 | 17h51
Conselheiro vai ao TJ para que Taques assine sua aposentadoria
O conselheiro quer obrigar chefe do Executivo a assinar aposentadoria
Alair Ribeiro/MidiaNews
O conselheiro Antonio Joaquim, que vai acionar o governador Pedro Taques
DA REDAÇÃO

O conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado, Antonio Joaquim, afirmou que irá protocolar nesta sexta-feira (27), às 14h, no Tribunal de Justiça de Mato Grosso, um mandado de segurança contra o governador Pedro Taques (PSDB).

O objetivo, segundo ele, é obrigar o governador a assinar sua aposentadoria.

De acordo com Joaquim, o pedido de aposentadoria está protocolado desde o dia 19 de outubro e ainda não foi assinado por Taques.

“Acho que o governador não tem o direito de conduzir a minha vida”, disse Joaquim, ao MidiaNews.

Acho que o governador não tem o direito de conduzir a minha vida

Ele preferiu não dar mais detalhes sobre o assunto e disse que irá se posicionar sobre os fatos amanhã.

Joaquim decidiu deixar o TCE para fazer uma pré-campanha ao Governo do Estado. A ideia, segundo ele, é tentar viabilizar sua candidatura até maio do próximo ano.

Ele decidiu que irá se filiar ao PTB e um evento de filiação com a participação do presidente nacional da sigla, Roberto Jeferson, está marcado para o próximo dia 8.

A filiação pode, no entanto, não ocorrer, caso o governador não assine sua aposentadoria do TCE.

Críticas ao Governo

Enquanto trabalha para viabilizar sua candidatura, Joaquim já tem feito uma série de críticas à gestão Taques, a aquele ele classificou como um “fracasso ético e administrativo”.

Ainda conforme Joaquim, os problemas enfrentados pelo governador seriam fruto de sua inexperiência política.

“É uma gestão inábil, que vive em conflitos inúteis. Você vê o governo direto batendo boca com poderes, com funcionários públicos, com desembargador, com promotor. É uma crise infindável e inútil, que atrapalha qualquer governo. Então, o governo tem essa dificuldade de harmonizar o governo, função que deveria ter como representante do poder Executivo”, disse o conselheiro, em uma coletiva de imprensa concedida na última semana.

“O dever do chefe do poder Executivo não é fazer bravatas. É um governo que não tem aptidão para fazer gestão”, declarou.

Leia mais sobre o assunto:

Conselheiro: "Gestão Taques é fracasso ético e administrativo"


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Setembro de 2018
21.09.18 11h10 » Conselheiro afastado terá que indenizar cabo eleitoral em R$ 10 mil
20.09.18 10h22 » Processo, que corre em Cuiabá, vai parar em Várzea Grande
19.09.18 17h20 » Juiz recebe denúncia e médica vira ré por morte de verdureiro
19.09.18 17h10 » Processo de ex-golpista some e impede julgamento de HC no TJ
19.09.18 14h27 » Ex-deputado Riva é condenado a 17 anos e 9 meses de prisão
19.09.18 09h57 » Réus citam deputados, mas juiz nega enviar processo para o TJ
19.09.18 09h30 » Servidor terá que indenizar juiz por ofensa em página do Facebook
19.09.18 08h59 » Justiça condena ex-auditor do TCE de MT, que perde salário de R$ 33 mil
18.09.18 17h16 » TJ suspende sentença que poderia impedir candidatura de Fabris
18.09.18 17h02 » Juiz absolve ex-secretário da AL acusado de participar de desvio



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet