Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Decisões que atestam o “mero aborrecimento” em casos de desrespeito ao consumidor estimulam o “mero abuso”
  • HÉLCIO CORRÊA
    Não vale mais baratear debate prisional no Brasil ou ficar inutilizando recursos públicos no modelo vingativo e ineficaz
  • VICTOR MAIZMAN
    Cláusula do Devido Processo Legal assegura que ninguém será privado de seus bens, sem o processo legal
  • GONÇALO DE BARROS
    Nas redes sociais, os julgamentos são mais abertos, transparentes; a exceção é o anonimato
J. Estadual / OBSTRUÇÃO DE JUSTIÇA

Tamanho do texto A- A+
11.10.2017 | 11h05
Delegada confirma que Lesco confessou trama para afastar Perri
Ex-secretário-chefe da Casa Militar, coronel foi reinterrogado na tarde da última terça-feira (10)
MidiaNews
A delegada Ana Cristina Feldner, que conduz investigações dos grampos
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O ex-secretário-chefe da Casa Militar, coronel Evandro Lesco, confessou que agiu de modo a atrapalhar as investigações relativas ao esquema de grampos ilegais operado no Estado.

A informação foi confirmada ao MidiaNews, pela delegada Ana Cristina Feldner, que conduz as investigações.

“O coronel Lesco confessou, sim, a prática do crime de obstrução apurado na operação Esdras”, afirmou Feldner, referindo-se à operação da Polícia Civil que desbaratou um esquema cujo objetivo era conseguir o afastamento do desembargador Orlando Perri do caso.

O coronel Lesco confessou sim a prática do crime de obstrução apurado na operação Esdras

A confissão ocorreu durante reinterrogatório do ex-secretário, realizado na tarde da última terça-feira (10) e que foi realizado a pedido da defesa de Lesco.

Na primeira oportunidade em que seria ouvido, o ex-chefe da Casa Militar optou por permanecer em silêncio. Desta vez, resolveu assumir as responsabilidades em relação às acusações que lhe são imputadas.

“Livrar a esposa”

O delegado Flávio Stringueta - que também está à frente do caso – afirmou que a “confissão” de Lesco pouco contribuiu com as investigações.

Isto porque a atitude do coronel é vista como uma tentativa de “livrar da cadeia” sua esposa, a personal trainer Helen Chrtisty, que também foi presa durante a Operação Esdras.

“Ele confessou todos os fatos a ele atribuídos na Operação, numa tentativa de livrar sua mulher. Não acrescentou nada, portanto, sua estratégia não convenceu. O que ele confessou já está plenamente confirmado nos autos”, disse o delegado.

Segundo Stringueta, o coronel também não citou os demais envolvidos no esquema.

“Os investigados têm o direito de ficar calados e também de mentir, desde que não atribuam falsamente crime a outrem. Pelo jeito ele está mentindo, pois conflita com todas as provas dos autos”, disse.

Embora a defesa do casal Lesco, representada pelo advogado Stalyn Paniago, tenha afirmado que ambos resolveram "assumir suas responsabilidades", o delegado disse a personal não deu declarações relevantes à investigação.

Leia mais sobre o assunto:

Defesa: coronel Lesco e esposa "assumiram responsabilidades"

Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Dezembro de 2017
15.12.17 16h04 » Juiz proíbe restaurante do Parque das Águas de servir 12 pratos
15.12.17 13h52 » Dona de abrigo é condenada a indenizar cada idoso em R$ 10 mil
14.12.17 15h05 » TJ rejeita denúncia contra promotor acusado de agredir ex-mulher
14.12.17 14h30 » Oito votam por aposentar e seis por absolver juiz de Cuiabá
14.12.17 10h00 » Ex-secretário é condenado a quatro anos de prisão por esquema
13.12.17 16h23 » TJ-MT determina soltura de agente do Gaeco acusado de extorsão
13.12.17 14h00 » Empresa terá que indenizar passageira que ficou sem braço
12.12.17 16h02 » Escritório cobra R$ 151,8 mil de deputado, que nega ter dívida
12.12.17 14h18 » Decolar é condenada por "encurtar" férias de turista de MT
12.12.17 10h40 » Juíza manda ação contra agente do Gaeco para Vara Militar



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet