Artigos
  • RENATO NERY
    Esta forma de cobrança (protesto) canhestra demonstra o desapreço do Poder Público para com o contribuinte
  • CARLOS MONTENEGRO
    Ao que me parece, a lesão resta muito mais evidenciada à sociedade e não aos cofres públicos
  • FERNANDA RAMOS
    A Lei em questão trouxe sim é segurança jurídica tanto para as empresas como para os trabalhadores
Enquetes

Você acha que a Lava Jato corre o risco de ser inviabilizada pela lentidão da Justiça?

  • Sim
  • Não
Quarta, 05 de abril de 2017, 14h24

Tamanho do texto A- A+
J. Estadual / BEM SEQUESTRADO
Juíza autoriza Sesp a usar avião de Riva em ações
Aeronave foi sequestrada do ex-deputado e sua esposa na ação penal oriunda da Operação Imperador
Marcus Mesquita/MidiaNews
O ex-deputado José Geraldo Riva que teve a aeronave sequestrada por determinação judicial
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

A juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado de Cuiabá, autorizou a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) a utilizar uma aeronave do ex-deputado estadual José Riva e de sua esposa Janete Riva em operações policiais.

O ofício foi encaminhado à Sesp no último dia 29 de março.

A aeronave modelo Piper Aircraft 31T2, ano 1992,  foi um dos 141 bens móveis e imóveis sequestrados de Riva e Janete na ação penal oriunda da Operação Imperador, deflagrada em 2015.

Eles são acusados de participar de um suposto esquema que teria desviado mais de R$ 62 milhões dos cofres da Assembleia Legislativa, entre 2005 e 2009, por meio de compras de fachada com empresas fornecedoras de materiais.

Na decisão, a magistrada determinou que a aeronave fique isenta do recolhimento de taxas de aviação e aeroportuárias. Conforme Selma Arruda, a secretaria terá, porém, que realizar todas as manutenções necessárias no avião para evitar que o bem se deteriore.

“Em atenção aos termos do Ofício nº 0313/2017/GAB/SESP, datado de 07/02/2017, comunico a Vossa Excelência que a Secretaria de Segurança Pública  poderá utilizar a aeronave piper prefixo PR-MSP, modelo PA-31T2,ano 1992, em voos frequentes, em ações de segurança pública, devendo, contudo, proceder às necessárias manutenções na aeronave, evitando, assim, que o bem se deteriore”, diz trecho do ofício.

“Registro que, tratando-se de aeronave que será utilizada em ações que visam o reforço da segurança pública no Estado de Mato Grosso, nos termos do Art. 7º, da Lei nº 6.009/73, determino que a mesma fique isenta do recolhimento de taxas de aviação e aeroportuárias, inclusive anteriores, caso estejam pendentes, a fim de possibilitar que essa Secretaria proceda a transferência do Operador junto à ANAC”, conclui o ofício.

Na mesma decisão, a juíza negou um pedido de Janete Riva para que fosse nomeada como fiel depositária da aeronave.

Sequestro de bens

O sequestro da aeronave e de outros 140 bens do casal foi determinada pela juíza Selma Arruda, em decisão proferida em junho de 2015, em decorrência da Operação Imperiador.

Além do avião, os bens que mais chamam a atenção são: uma área de terra de 4,1 m², que fica na Gleba Taquaral, em Juara, e a chamada Fazenda Estrela, que engloba quatro lotes na Gleba Tabaporã, lozalizada no município que dá nome à gleba.

Já na Capital, o casal teve sequestrado oito matrículas de imóveis no Bairro Lavapés e um imóvel no Condomínio Bosque dos Ipês.

Um total de 11 carros do casal foi alvo da apreensão, sendo cinco de José Riva e seis de sua esposa.

Entre os veículos de Riva foi apreendido um Audi A4 ano 2005 e uma Fiat Fiorino 1996.

Imperador

A ação proposta pelo Ministério Público Estadual (MPE) culminou com a prisão de José Riva em fevereiro de 2015.

A medida foi revogada em junho daquele ano.

Segundo o Gaeco, cinco empresas "venderam" mais de 30 mil toners à Assembleia mas, na época dos fatos, o Poder contava com apenas 150 impressoras.

As cinco empresas envolvidas no suposto esquema são: Livropel Comércio e Representações e Serviços Ltda, Hexa Comércio e Serviços de Informática Ltda, Amplo Comércio de Serviços e Representações Ltda, Real Comércio e Serviços Ltda-ME e Servag Representações e Serviços Ltda.

Além de Riva e Janete, foram denunciados servidores públicos e empresários.

São eles: Djalma Ermenegildo, Edson José Menezes, Manoel Theodoro dos Santos, Djan da Luz Clivatti, Elias Abrão Nassarden Junior, Jean Carlo Leite Nassarden, Leonardo Maia Pinheiro, Elias Abrão Nassarden, Tarcila Maria da Silva Guedes, Clarice Pereira Leite Nassarden, Celi Izabel de Jesus, Luzimar Ribeiro Borges e Jeanny Laura Leite Nassarden.

Leia mais:

Veja a relação de imóveis da família Riva alvos de sequestro


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Abril de 2017
28.04.17 18h26 » Magistrado vê interesse político e nega ação do TCE
28.04.17 17h44 » Confira os plantonistas do fim de semana e feriado
28.04.17 15h24 » Posto de ex-aliado de Arcanjo é leiloado para quitar dívida
27.04.17 17h57 » José Zuquim decidirá ação do TCE contra Sefaz
27.04.17 09h04 » Servidor tem salário e carro penhorados para pagar juiz
26.04.17 10h51 » Empresário acusado de matar concunhado vira réu por tráfico
26.04.17 10h46 » Garota de programa retira queixa contra procurador da Assembleia
26.04.17 08h34 » Juíza manda penhorar créditos de suplente de deputado
25.04.17 18h27 » Juíza se mantém na ação em que Riva acusou 34 de propina
24.04.17 17h58 » Porteiro diz que aceitou ser "laranja" para ajudar mãe



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet