Artigos
  • GILMAR MENDES
    Esse procedimento acaba sendo o meio para coibir interpretações equivocadas e mesmo abusos na prisão
  • ELVIS KLAUK JR
    Antes de fechar negócio é muito importante verificar se o imóvel está com os respectivos documentos em ordem
  • PAULO LEMOS
    Na política, há um quadro crônico e agudo de delírios, alucinações, desejos, impulsos e compulsões
MPE / GRAVAÇÃO INDISCRETA

Tamanho do texto A- A+
12.01.2018 | 16h53
MPE investiga áudio em que Jajah acusaria Wilson de exigir verba
Suposta conversa de suplente de deputado estadual viralizou nas redes sociais na quinta-feira
Alair Ribeiro/MidiaNews
Wilson Santos e Jajah Neves durante conversa na Assembleia Legislativa
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O Ministério Público Estadual (MPE) vai instaurar um procedimento preliminar para investigar o áudio atribuído ao deputado estadual Jajah Neves (PSDB),  no qual ele supostamente admite que repassa R$ 65 mil de sua Verba Indenizatória ao secretário de Cidade Wilson Santos (PSDB), titular da vaga.

A informação é da assessoria de imprensa do órgão. O áudio está inserido em um vídeo apócrifo que foi divulgado na internet na quinta-feira (11) e viralizou nas redes sociais. 

Conforme a assessoria, o procedimento será aberto pelo Núcleo de Defesa do Patrimônio Público, coordenado pelo promotor de Justiça André Luiz de Almeida.

A definição sobre qual promotor irá assumir a investigação, porém, será definida por Almeida na próxima semana.

A assessoria ainda explicou que o procedimento preliminar é uma investigação inicial para verificar se o fato cabe ou não a instauração de um inquérito civil. 

“Como saíram as notícias sobre esse aúdio ontem na imprensa e chegou ao conhecimento do MPE, será instaurado uma notícia de fato - que é um procedimento preliminar anterior ao inquérito civil - para fazer uma análise e verificar se vai instaurar ou não o inquérito civil”, explicou a assessoria.

O aúdio

No aúdio, Jajah também reclamou que, apesar de estar no exercício do cargo, não conseguiu emplacar nenhum aliado em cargos de indicação política junto ao Governo do Estado.

“Suplente sem conseguir meter uma nomeação. Cai minha VI e eu tenho que devolver para Wilson se não ele começa a me ligar três dias antes de cair”, disparou.

Jajah Neves teria dito que "sustenta" a TV Mato Grosso (canal 27.1), onde apresenta um programa, com dinheiro público.

“Emissora de TV que não tem nenhuma publicidade. Eu sustento aquilo ali com dinheiro público que vem. Cai o dinheiro não é por causa da mídia, é por causa de mim. Não chega para ninguém. Chega por causa de mim. Tudo é sustentado pelo Governo e pela Assembleia”, disse a gravação atribuída a Jajah Neves.

No áudio, o deputado comentou também sobre o irmão, o vereador de Várzea Grande, Ademar Jajah (PSDB). Ele disse que apesar de resolver a “vida” do parente, ajudando-o a vencer a eleição para a Câmara Municipal da cidade, ainda está devendo até o “c*”.

O deputado reclamou ainda que a eleição do irmão lhe "deu prejuízo político” e que saiu “queimado” do processo numa referência ao caso dos “santinhos” utilizados por Ademar em sua campanha, mas que tinham a imagem do suplente.

Um processo tramita no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) que pode decretar a inelegibilidade do parlamentar estadual.

“Disse ao meu irmão que eu resolvi sua vida. Peguei você aqui, te dei um mandato. Você tem 4 anos para você administrar sua vida. Ganhando um baita de um salário. [E ele] tá devendo até o c*. Gastando dinheiro que você não tem ideia. Prejuízo essa eleição dele. Me queimou”, disse Jajah Neves.

Outro lado

O secretário Wilson Santos afirmou que não irá se pronunciar sobre o caso nesta semana. A assessoria de Jajah disse que ele está viajando.

Reveja o vídeo: 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Dezembro de 2011
04.12.11 08h41 » Deficiências orçamentárias não são impasses, diz Ferra
02.12.11 14h41 » Prado se ausentará e conselho não votará arquivamento
01.12.11 18h06 » Fórum de Interlocução discute combate à corrupção
Novembro de 2011
27.11.11 17h37 » Sede do Conselho do MP custará R$ 73 milhões
27.11.11 11h04 » Ministério Público quer fechar supermercado Comper
25.11.11 17h04 » MPE obtém liminar que exonera parentes de prefeito e vereador
21.11.11 22h28 » Prado defende competência do MPE para investigar senador
21.11.11 19h15 » MPE-MT denuncia 6 pessoas por sequestro e assassinato
19.11.11 18h26 » "O Ministério Público não é o salvador da pátria"
11.11.11 10h47 » Após uso ilegal, governo de MT "toma" maquinários



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet