Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    O Judiciário dará solução imediata ao cidadão ou à pessoa jurídica, quando houver ameaça à violação de direito
  • EDUARDO MAHON
    Há nomes que merecem permanecer na memória da Cultura de Mato Grosso; já outros...
TCE / "SERENIDADE"

Tamanho do texto A- A+
14.11.2017 | 15h01
Neto é eleito presidente e diz que crise no TCE-MT será superada
O presidente comandará a instituição no biênio 2018/2019; Luiz Henrique Lima é o vice-presidente
TCE-MT
Domingos Neto foi eleito presidente do Tribunal de Contas, no pleito realizado nesta terça
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O conselheiro Domingos Neto foi eleito, por unanimidade, presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), na manhã desta terça-feira (14). Ele comandará a instituição no biênio 2018/2019.

Neto já estava ocupando a presidência do TCE, de forma interina, já que os outros cinco conselheiros da instituição foram afastados em decorrência da Operação Malebolge, da Polícia Federal.

“Já estamos há dois meses em substituição legal. Manteremos o mesmo ritmo de trabalho, seguindo nosso planejamento estratégico e fiscalizando as contas públicas com muita serenidade, humildade e honestidade”, disse Domingos Neto, após a eleição.

O presidente afirmou ainda que, "com muito trabalho", o TCE conseguirá superar a crise de imagem abalada ainda mais após a ação da PF.

Vamos efrentar essa situação requer muita serenidade, calma e trabalho. Só o trabalho vai mostrar que o TCE é capaz de superar qualquer crise

Pesa contra os conselheiros afastados - Antonio Joaquim, Sérgio Ricardo, Valter Albano, Valdir Teis e José Carlos Novelli - , as acusações de que eles teriam recebido R$ 53 milhões em propina para não atrapalhar o andamento de obras do "MT Integrado" (rodovias) e da Copa do Mundo de 2014.

“Vamos aguardar esse tempo. Enfrentar essa situação requer muita serenidade, calma e trabalho. Só o trabalho vai mostrar que o TCE é capaz de superar qualquer crise”, disse o presidente.

A eleição realizada na manhã de hoje também definiu o conselheiro Luiz Henrique Lima como vice-presidente interino e o conselheiro Isaías Lopes da Cunha é o corregedor-geral interino.

Relacionamento com o Governo

À imprensa, Domingos Neto disse que manterá uma relação de muito diálogo com os demais Poderes, especialmente com o Executivo.

Ele afirmou, inclusive, que terá “paciência” para tratar de questões como o pagamento do duodécimo (repasse constitucional) aos Poderes e instituições.

Há algum tempo, o Governo vem encontrando dificuldades para honrar com esses repasses em dia.

“O relacionamento com o Governo é muito bom, não haverá problema. Nos conhecemos de longa data, teremos uma parceria totalmente técnica, debates técnicos, sempre com base no diálogo, não vai ter dificuldade alguma”, disse.

“(Com relação ao duodécimo) teremos paciência e saberemos entender o melhor momento”, concluiu Domingos Neto.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Outubro de 2017
03.10.17 08h45 » TCE aponta que 45% dos médicos não cumprem carga horária
01.10.17 14h01 » Conselheiro teria usado dinheiro ilícito para comprar canal de TV
Setembro de 2017
29.09.17 14h51 » Pleno mantém decisão que suspendeu licitação de R$ 752 milhões
25.09.17 17h18 » "Os conselheiros substitutos morrerão substitutos", diz Joaquim
25.09.17 13h35 » Conselheiro pede devolução de bens e autorização para falar com esposa
21.09.17 09h01 » TCE fará perícia para saber se houve dolo em sobrepreço
19.09.17 11h42 » Joaquim aponta “nulidade” e pede que STF o reconduza ao cargo
19.09.17 11h05 » Pleno do Tribunal de Contas realiza sessão nesta quinta
18.09.17 16h25 » Conselheiro afastado diz que Janot prevarica e protege Taques
16.09.17 10h34 » Conselheiro diz que afastamento é "medida desproporcional”



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet