Artigos
  • LUIZ HENRIQUE LIMA
    Em 2013, publiquei o meu primeiro artigo sobre a controvérsia do FEX
/ BRENDA STOFELL

Tamanho do texto A- A+
27.03.2020 | 16h20
Lockdown e Soft Skills
A Adaptação em meio ao caos da crise econômica causada pela pandemia do coronavírus
BRENDA STOFELL

O mundo está em Lockdown. As notícias não agradam. Os acionistas, investidores, empresários e profissionais de todos os setores estão em crise. A recessão chegou e parece que o cenário vai escurecer ainda mais. Isso tudo por conta de um vírus: o COVID-19.

Este é um vírus que causa uma doença respiratória aguda sendo identificada pela primeira vez em Wuhan, na província de Hubei, República Popular da China, em 1 de dezembro de 2019 e quem tem estremecido o mundo. Mas antes de tudo, você sabe o que é LOCKDOWN ? A palavra Lockdown, literalmente significa BLOQUEIO. E é o que estamos vendo agora no mundo: o isolamento social, o fechamento das fronteiras, a proibição de viagens e a interrupção da atividade comercial. E como fica a economia nesse ponto ?

Na quinta-feira (19/03/2020) o dólar encostou nos R$ 5 e a Ibovespa entrou duas vezes em "circuit breaker", que é uma ferramenta de segurança utilizada pela B3 para interromper todas as operações da bolsa sendo disparada quando ocorrem fortes quedas atípicas nos preços das ações. Não tão distante, estamos presenciando e sentindo na pele o movimento dos setores da economia que fecham suas portas e trabalham sob a forte onda da volatilidade, agarrando-se em projeções com análises de riscos e vetores da economia em devassa. Sem clientela, sem cash, sem oferta, sem demanda. CEO’s de diversas áreas aquiescem: 90% das lojas satélites imersas em grandes centros comerciais de diversos bens de consumo não aguentam mais que 30 dias em Lockdown. O crédito bancário retraiu.

A Economia Global está em recessão. A retração da economia brasileira deve ficar em 0,7% neste ano. O pacote do Ministério da Economia para fazer frente aos impactos econômicos do coronavírus já ultrapassa os R$ 170 bilhões, que saem dos cofres públicos, e adivinha? Nós pagamos. É o Apocalipse! Mas como podemos enfrentar tudo isso? E aqui vai a correlação entre o Lockdown e as Soft Skills. As Soft Skills tratam-se de habilidades interpessoais que cada indivíduo possui, e muitas vezes permanece adormecida até vir a ser necessária. Mas quais são?

Adaptabilidade, criatividade, espírito empreendedor, gestão de pessoas e negócios, comunicação e demais habilidades comportamentais que são pouco reconhecidas e muitas vezes, esquecidas. Know-Hows, virtudes, talentos, competências e aptidões.

O momento que vivemos é de disrupção, incerteza, volatilidade. Por isso a forma que as pessoas e as empresas lidavam com seus negócios, e sua atividade empresarial, destoa de um cenário favorável ou sequer imaginável. Não é porque as coisas sempre foram assim, que permanecerão.

O senso de pertencimento à uma análise macro em setores de economia serve quando falamos da robustez nas estruturas dos negócios. Mas a Globalização como um processo de aprofundamento internacional da integração econômica, social, cultural e política, impulsionada pelas redes de transporte e comunicação, já não é mais novidade. Por essa razão é que sofremos tanto: é que durante a paz, quase nunca nos preparamos para a guerra. Mas há uma forma de amortizar os índices e sobreviver para contar a história: é a modulagem dos negócios, dos pensamentos e da conduta, inserindo toda a contextualização das Soft Skills na paisagem. Fomos privados, pelo famigerada pandemia do coronavírus, do contato físico, mas não da interação humana. É hora de ascender a energia, diariamente, minuto e segundo, criando nas empresas comitês de crise, analisando todas as possibilidades, reinventando a modelagem dos negócios, absorvendo as críticas construtivas que nunca demos atenção outrora, para buscar satisfazer as leis de oferta e procura e tentar se adequar ao mercado invisível que agora se vê nu. O Home Office saltou de incerteza para solução. O E-commerce nunca foi tão procurado.

O aumento da utilização da internet cresceu em 25 % e as redes sociais tornaram-se ainda mais palco e produto. Pense nisso. Construir na crise é um processo. Processo de sobrevivência e mudança de diretriz. De caos e oportunidade.

De realmente VER tudo ao seu redor, e não apenas enxergar, visto que inclusive a própria expressão tem diferença: ver está em aprofundar sua visão sobre o objeto visto e analisá-lo mais de perto. Já enxergar é apenas olhar sem avaliar com mais cuidado aquilo que se está enxergando, conforme explica o cientista Masataka Watanabe. Juridicamente, no setor empresarial, faça a análise concreta dos contratos.

Apresente planos de contingência e repactuação de cronogramas. Renegocie com os fornecedores. Utilize-se das medidas de gerência apontados pelo Governo para satisfazer as demandas laborativas. Estabeleça nos novos contratos o conteúdo e o alcance de suas obrigações Esteja atento ao seu negócio. Tenha-o em suas mãos. Conecte-se à pessoas.

Drible. Remodele, Rediscuta ou Renegocie as cláusulas. Aumente a capacidade de entrega, gere valor. Foque nas vendas e no business. Aproveite a tecnologia. Desenvolva soluções, aprenda a administrar o seu negócio pela falta.

Seja positivo: pense no melhor, mas se prepare para o pior. Descarrilhe o mínimo possível agora. Porquê tempos difíceis passam. Pessoas fortes ficam. E ainda que a empresa seja a atividade econômica exercida profissionalmente pelo empresário por meio da articulação dos fatores produtivos para a produção ou circulação de bens ou de serviços, nunca se perde de vista que por trás do CNPJ, há um CPF, portanto, desenvolva novas habilidades.

Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças! Que isso não seja apenas teoria. Que seja a prática. Que vire rotina e que sirva de incentivo para você, leitor, empresário, profissional liberal, indivíduo, a não desistir. Não é fácil tentar impulsionar palavras de incitamento e esperança em um momento tão nebuloso. Mas certamente são necessárias e luzentes. Confie no processo: Parar e desistir não são opções.

Brenda Stofell é advogada em Mato Grosso.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2020 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet