Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    O ato de perder muita das vezes desencadeia reações impensadas e imprevisíveis
  • GONÇALO ANTUNES DE BARROS
    Fenômeno democrático ‘é’ enquanto resultado da interpretação daquele que o observa
  • RENATO GOMES NERY
    Movimentação política, com vistas à sucessão municipal em Cuiabá, começou
/ BRIGA EM ELEVADOR

Tamanho do texto A- A+
14.06.2019 | 17h35
Empresário paga R$ 9,5 mil e juiz extingue processo de agressão
José Charbel Malouf, o "Zezo" foi acusado de agredir Camila Piran e Amir Malouf, em 2017
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O juiz Mário Roberto Kono de Oliveira, do Juizado Especial Criminal Unificado de Cuiabá, extinguiu o processo contra o empresário José Charbel Malouf, o "Zezo", por agressão à empresária Aline Camila Piran e o namorado dela, Amir Antônio Maluf, sobrinho de Zezo.

A decisão é do dia 28 de maio. Segundo o documento, em 2018 as partes entraram em um acordo e o empresário aceitou pagar 10 salários mínimos, no total de R$ 9,5 mil, para uma Ong de Cuiabá. 

O fato ocorreu em setembro de 2017 no elevador do Goiabeiras Shopping.

Na época, o caso foi encaminhado para a Vara de Violência Doméstica e Familiar. Os advogados de Zezo, Valber Melo, Filipe Maia e Léo Catala, conseguiram o declínio da competência por não se tratar de incidência da Lei Maria da Penha. A tese foi acolhida pela juíza Ana Graziela Vaz de Campos.

Da análise detida dos autos, verifico que o autor dos fatos, já devidamente qualificado nos autos, cumpriu integralmente com as condições impostas na transação penal ofertada pelo Parquet e devidamente aceita por ele. Assim sendo, com fulcro no art. 61 do Código de Processo Penal, declaro extinta a punibilidade do autor dos fatos

Com o encaminhamento do caso para o Juizado Especial Criminal, as partes participaram de uma audiência em setembro de 2018 e o Ministério Público Estadual (MPE)  ofertou uma  proposta de transação penal ao empresário consistente ao pagamento de 10 salários mínimos para a Ong Auto Estima, com sede na Rua Professor Vitorino Miranda, no Bairro Dom Aquino.

Conforme a decisão, a proposta foi aceita pelas partes. Zezo realizou o pagamento de R$ 9.540 divididos em duas parcelas iguais e sucessivas, no valor de R$ 4.770, em outubro e novembro de 2018. 

“Da análise detida dos autos, verifico que o autor dos fatos, já devidamente qualificado nos autos, cumpriu integralmente com as condições impostas na transação penal ofertada pelo Parquet e devidamente aceita por ele. Assim sendo, com fulcro no art. 61 do Código de Processo Penal, declaro extinta a punibilidade do autor dos fatos”, determinou o magistrado.

Zezo também representou contra Amir Malouf por lesões corporais. O proceso ainda tramita no Juizado.

O caso

Câmeras de seguranças flagraram o episódio.

Nas imagens, foi possível ver que Aline - que estava usando uma jaqueta jeans - entra primeiro no elevador, acompanhada do namorado, Amir Antônio Maluf, que é sobrinho de Zezo e usava uma camisa branca.

Logo em seguida,  o empresário - que usava uma camisa azul - entra no mesmo elevador, acompanhado da sua esposa Verônica Maluf.

Divulgação

zezo maluf

l O empresário José Malouf

Já dentro do elevador, Zezo e Amir começam uma discussão e, antes de descer, o empresário coloca a mão no peito do sobrinho e aponta o dedo para Aline.

Amir dá um emburrão no tio, que revida com chutes. Durante a briga com o sobrinho, Zezo ainda atinge o rosto da empresária, que cai no chão.

Tio e sobrinho continuam a briga fora do elevador. A partir daí, as portas do elevador se fecham e não é possível mais ver o desfecho do caso.

No mesmo dia, Aline se dirigiu à Central de Ocorrências, na Avenida da Prainha, e registrou um boletim de ocorrência contra o empresário.

Na época dos fatos, Zezo disse que foi "vítima" da empresária e agiu em legítima defesa.

Leia mais: 

 

Delegada lavra termo e envolvidos irão a Juizado Criminal


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet