Artigos
  • IRAJÁ LACERDA
    Mato Grosso precisa avançar em ações que potencializem a política pública agroindustrial
/ SUSPEITA DE CAIXA 2

Tamanho do texto A- A+
12.01.2019 | 10h34
Deputada vê perseguição: “pago preço pelo meu sobrenome”
Procurador representou a deputada no TRE com pedido de cassação do diploma
Alair Ribeiro/MidiaJur
A deputada Janaina Riva
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

A deputada estadual Janaina Riva (MDB) atribuiu à “perseguição” o fato de ter sido alvo de uma representação do procurador regional eleitoral Pedro Melo Pouchain Ribeiro, por supostas irregularidades na prestação das contas eleitorais de 2018.

De acordo com o procurador, um parecer técnico da Justiça Eleitoral encontrou indicativos de omissão de despesas na contratação de prestadores de serviços, o que aparentemente configuram a prática de “caixa 2”.

“Infelizmente, às vezes a gente paga acho que pelo sobrenome. Mas, estou preparada pra isso. Enfrentei perseguição aqui durante quatro anos e não morri. Estou viva. Não só estou viva, como fui a mais votada do Estado”, disse ela.

Infelizmente, às vezes a gente paga acho que pelo sobrenome. Mas, estou preparada pra isso. Enfrentei perseguição aqui durante quatro anos e não morri. Estou viva. Não só estou viva, como fui a mais votada do Estado

Janaina é filha do ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, que confessou participação em esquemas de corrupção no Legislativo.

“Vi agora uma matéria que diz: ‘Promotor identifica participação de Riva em campanha de Janaina’. O Riva é pai da Janaina. Nada mais natural que um pai, um irmão, um parente participe ativamente de sua campanha”, acrescentou a deputada.

A deputada disse que, num primeiro momento, pensou em não se manifestar sobre o assunto publicamente, mas em função de ter recebido centenas de ligações e mensagens - inclusive de apoio - decidiu se manifestar.

“Decidi falar, pois esse é um assunto que causa dúvida não só em vocês como pra mim também. Fui a deputada que mais declarou gasto de campanha. Todos nós vimos campanhas muito maiores que a minha e que declararam R$ 300 mil, R$ 200 mil em gastos. Essas pessoas não têm problemas”, disse.

Ela ainda admitiu se chatear com um pedido de cassação sendo que suas contas de campanha sequer foram julgadas.

No total, Janaina declarou R$ 950.408,31 em despesas contratadas em sua campanha, alcançando o percentual de 95,04% do limite de gastos da campanha de deputado estadual.

A prestação de contas de campanha da deputada ainda está pendente de julgamento pelo Pleno do TRE.

A juíza Vanessa Curti Perenha Gasques, relatora do processo, votou pela reprovação. Os juízes Antônio Veloso Peleja Júnior e Luís Aparecido Bortolussi acompanharam o voto da relatora. Já o desembargador Pedro Sakamoto pediu vistas e adiou a conclusão do julgamento.

Leia mais sobre o assunto:

Procurador suspeita de caixa 2 e pede quebra de sigilo bancário


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet