Artigos
  • VILSON NERY
    Li as propostas dos três candidatos, e separei as palavras “agricultura” e agronegócio” em seu contexto no plano de governo, para dar qualidade à minha pretensão
  • JOÃO PAULO OLIVEIRA
    No processo eleitoral atual há uma enorme preocupação com relação a informações falsas que são passadas no que tange a uma série de situações e candidatos
/ SOFREU AVC

Tamanho do texto A- A+
10.07.2018 | 16h06
Juiz bloqueia R$ 383 mil do Estado para pagar "home care"
A decisão foi proferida no dia 28 de junho e publicada no Diário de Justiça desta segunda-feira (9)
Assessoria
O juiz Agamenon Alcântara Moreno Júnior da Terceira Vara da Fazenda Pública
JAD LARANJEIRA
DA REDAÇÃO

O juiz da Terceira Vara Especializada da Fazenda Pública de Cuiabá, Agamenon Alcântara Moreno Júnior, determinou o bloqueio imediato de R$ 383 mil das contas do Estado para pagar o tratamento de um paciente que necessita de "home care".

"Home care" é o tratamento médico feito em casa. 

A decisão foi proferida no dia 28 de junho e publicada no Diário de Justiça desta segunda-feira (9).

Segundo os autos do processo, o bloqueio aconteceu devido ao descumprimento do Governo a uma ordem de antecipação de tutela já deferida para um paciente de 64 anos, portador de diabetes e hipertensão.

Conforme  a defesa, o paciente sofreu um AVC (acidente vascular cerebral) em 2005. E em 2008 caiu e acabou tendo traumatismo craniano. Desde então ele estaria acamado, necessitando de cuidado integral. 

Aduz que o Requerido [Estado] não está cumprindo a determinação judicial, se mostrando inerte sem fornecer qualquer informação sobre a possibilidade de cumpri-la, causando prejuízos a saúde do Requerente

O valor bloqueado pela Justiça garante 16 meses de tratamento para o paciente.

Decisão

De acordo com o magistrado, o Estado manteve a "inércia" após a decisão.

“Aduz que o Requerido [Estado] não está cumprindo a determinação judicial, se mostrando inerte sem fornecer qualquer informação sobre a possibilidade de cumpri-la, causando prejuízos a saúde do Requerente, que necessita do tratamento de internação domiciliar”, diz trecho da decisão.

Por fim, o juiz determinou que o valor deverá ser transferido via Bacenjud (direto da conta corrente do Estado) e transferido para a conta do Poder Judiciário, que posteriormente deverá ser transferido para a conta da ‘Help Home Care’ para pagamento pelos serviços prestados.

“Intime-se, por meio de oficial plantonista se necessário, a empresa fornecedora para providenciar a apresentação de relatório pormenorizado demonstrando, de forma analítica o valor e os materiais utilizados na prestação do serviço judicialmente autorizado”, determinou.

Também solicitou que a Procuradoria do Estado e o Ministério Público Estadual fossem intimados da decisão.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet