Artigos
  • VILSON NERY
    Li as propostas dos três candidatos, e separei as palavras “agricultura” e agronegócio” em seu contexto no plano de governo, para dar qualidade à minha pretensão
  • JOÃO PAULO OLIVEIRA
    No processo eleitoral atual há uma enorme preocupação com relação a informações falsas que são passadas no que tange a uma série de situações e candidatos
/ COMBATE AO "FAKE NEWS"

Tamanho do texto A- A+
20.06.2018 | 16h54
Luiz Fux diz que é preciso 'mais imprensa e mais jornalismo'
Presidente do TSE disse que as chamadas 'fake news' poluem o ambiente democrático
RPC/Reprodução
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luiz Fux
GUILHERME MAZUI
DO G1

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luiz Fux, disse nesta quarta-feira (20), que é preciso "mais imprensa e mais jornalismo" para combater notícias falsas. Fux participou de seminário sobre o impacto social, político e econômico das chamadas "fake news", em Brasília.

"As eleições no Brasil serão um exemplo de higidez democrática, exemplo de moralidade e de ética na politica brasileira. Para notícias falsas, nós precisamos de mais imprensa e mais jornalismo", disse Luiz Fux.

O ministro disse que a difusão de notícias falsas causam "dando irreparável à candidatura alheia". Disse, ainda, que mais importante para o TSE é atuar preventivamente do que repressivamente.

"Queremos que a sociedade brasileira através do voto dê uma demonstração de ética, moralidade, de um voto acima de tudo consciente. Um voto consciente se baseia em uma lisura informacional", afirmou.

As eleições no Brasil serão um exemplo de higidez democrática, exemplo de moralidade e de ética na politica brasileira. Para notícias falsas, nós precisamos de mais imprensa e mais jornalismo

Ainda segundo o Luiz Fux, as fake news "poluem o ambiente democrático". "Sempre deve haver uma checagem, não só leitura do título da matéria, mas o seu contexto e acima de tudo aquela checagem profunda antes do compartilhamento que acaba difundindo a fake news”, afirmou o ministro.

Pilar da democracia

O presidente Michel Temer, que também estava presente no evento em Brasília disse que a "imprensa livre e a democracia são irmãs siamesas".

Segundo Temer, a liberdade de imprensa é um “pilar essencial da democracia” e é preciso “defendê-la e até cultivá-la”. "Sociedades que valorizam a livre divulgação de ideias são mais fortes e mais dinâmicas", disse o presidente Michel Temer.

"A desinformação não é uma informação. Se é desinformação ela não está protegida pelo texto constitucional", disse o presidente.

Ameaça à sociedade

Também presente no evento, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDC-CE) afirmou que as notícias falsas representam uma “ameaça” a todos os brasileiros e que seus impactos são discutidos pelo Congresso Nacional.

“O parlamento brasileiro, cumprindo sua missão de legislador e mediador de conflitos, vem debatendo intensamente esse fenômeno das falsas notícias e seus impactos em todos os setores da sociedade. Essa é uma ameaça que atinge a todos nós”, disse.

Eunício afirmou que informações falsas divulgadas, em especial nas redes sócias, podem servir para “devastar” candidaturas nas eleições deste ano. Segundo ele, uma mentira publicada pode macular uma reputação e levar anos para recuperar o dano causado.

“As redes sociais funcionam como uma imensa câmara de eco que em notícias fantasiosas repercutem com força extraordinária”, afirmou o senador.

Eunício ainda afirmou que é preciso ter cuidado para discutir o combate à fake news sem impor censura à imprensa.

“Não se pode, sob o pretexto de combater a fake news, por em risco o exercício da liberdade de expressão”, declarou.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet