Artigos
  • XÊNIA ARTMANN GUERRA
    “Evoluímos” para a repulsiva situação de uma advogada ser presa e algemada dentro de um fórum no exercício da profissão
  • JEAN CARVALHO
    Atribuo, sob a minha ótica, a responsabilidade da dificuldade passada pelo Poder Judiciário ao próprio Judiciário
  • LUIZ HENRIQUE LIMA
    Até na cela de uma prisão, uma boa leitura liberta o pensamento e desacorrenta a alma

Tamanho do texto A- A+
16.06.2018 | 09h16
"Sem provas"
Desembargador Orlando Perri critica condenação de Gilmar Fabris
DA REDAÇÃO
Orlando Perri 28-09-2017

O desembargador Orlando Perri, que criticou falta de provas para condenar deputado

O desembargador Orlando Perri, ao votar pela absolvição do deputado estadual Gilmar Fabris (PSD) em uma ação penal, afirmou que o político não poderia ser julgado por "mera suposição" ou pela fama de "corrupto".

Fabris foi condenado pelo Tribunal de Justiça, por maioria de votos, por peculato, num esquema que desviou R$ 1,5 milhão dos cofres da Assembleia Legislativa em 1996, quando a Mesa Diretora era comandada por ele e por José Riva.

Para Perri, todavia, não há nenhuma prova de que o deputado tenha participado do esquema - ou se beneficiado dos valores desviados.

“Não há lastro probatório – mínimo que seja – que comprove o liame subjetivo mantido entre Gilmar Donizete Fabris com os demais corréus denunciados pelo Ministério Público Estadual. Não verifiquei nos autos nenhuma prova testemunhal, documental, nem pericial que demonstre a participação de Gilmar Donizete Fabris no crime descrito na peça acusatória”, disse Perri.

 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet