Artigos
  • LUIZ GONÇALO DA SILVA
    O posicionamento do STF amplia a possibilidade de surgimento de novas empresas e de ampliação de postos de trabalho
  • LEONARDO CAMPOS
    Impôs derrotas acachapantes, renovou na medida de sua vontade e deixou claro suas prioridades mais imediatas
  • VICTOR MAIZMAN
    Para que o Executivo possa exigir a taxa do pagador de tributos, tal cobrança deve estar respaldada em lei
  • RITA DE CASSIA BUENO
    Na atualidade, é comum a ocorrência de erros de empresas que não realizam a devida atualização realizando cobranças de forma indevida

Tamanho do texto A- A+
16.05.2018 | 08h58
Políticos na mira
Doleiro de megatraficante faz delação premiada
DA REDAÇÃO
Luiz Carlos da Rocha

Luiz Carlos da Rocha (detalhe), que usava os serviços do doleiro, foi preso no ano passado

O doleiro Carlos Alexandre Souza Rocha, o “Ceará”,  que atuava para o megatraficante de Mato Grosso Luiz Carlos da Rocha, o “Cabeça Branca”, já fechou acordo de delação premiada.

Em seu acordo, Rocha disse ter feito repasses para políticos como os senadores Aécio Neves (PSDB), Renan Calheiros (MDB), Fernando Collor de Melo (PTC) e Randolfe Rodrigues (Rede).

A PF suspeita que o dinheiro lavado para o megatraficante, preso em Sorriso (MT) em 2017, tenha sido usado para pagar propina a políticos de vários Estados, ainda que estes políticos não soubessem a origem dos recursos.

"O criminoso que vai receber propina não vai perguntar: 'Isso é do tráfico de drogas?'. O dinheiro sujo não tem origem nem dono, usa-se para fazer o que precisa ser feito no mundo do crime", afirmou o delegado da PF Roberto Biasoli, que investiga o caso.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet