Artigos
  • JUNIOR MACAGNAM
    Em mais de 30 anos de democracia, de que valeu o foro especial? Apenas para a corrupção
  • VICTOR MAIZMAN
    Pela iniciativa popular, podem ser criadas não somente leis, como também, revogá-las
  • CARLOS RAFAEL DE CARVALHO
    Medida deve ser avaliada com ressalvas porque pode beneficiar mais aos bancos do que aos consumidores

Tamanho do texto A- A+
07.05.2018 | 18h06
Duplo homicídio
Desembargador Orlando Perri se diz impedido de julgar Arcanjo
DA REDAÇÃO

 

Orlando Perri 28-09-2017

O desembargador Orlando Perri, que declarou impedimento

O desembargador Orlando Perri se declarou impedido de julgar o recurso em que o ex-bicheiro João Arcanjo tenta reverter a decisão que o condenou a 44 anos e dois meses de prisão por ter mandado executar os empresários Rivelino Brunini, Fauze Rachid Jaudy e pela tentativa de homicídio contra Gisleno Fernandes, em 2002.

O impedimento se deu em razão de o júri de Arcanjo ter sido presidido pela juíza Mônica Perri, irmã do desembargador. Com isso, a relatoria do recurso será distribuída a outro desembargador. Também recorrem da condenação o ex-soldado da PM Célio Alves de Souza e o uruguaio Júlio Bachs, que receberam pena de 46 anos e 10 meses e 41 anos de reclusão, respectivamente.

“A sentença hostilizada foi proferida pela Juíza de Direito Mônica Catarina Perri Siqueira, parente em linha colateral deste Desembargador, o que me torna impedido de exercer a jurisdição neste feito, conforme preleciona o art. 252, I, do Código de Processo Penal. À vista do exposto, promova-se a redistribuição do presente apelo na forma regimental, consignando no sistema o meu impedimento”, decidiu Perri.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet