Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Juridicamente é irrelevante o nome que se dá ao tributo, devendo ser definido o tributo através de seu fato gerador
  • RENATO GOMES NERY
    Não pode a Justiça afirmar que tal cor um dia é preta e no outro dia é branca; isto leva ao descrédito
  • VALBER MELO E FILIPE MAIA BROETO
    Ao implementar-se o método do discovery, eliminar-se-ão os "blefes", os "trunfos", as "jogadas desleais", bem como os eventuais "jogadores espertos"

Tamanho do texto A- A+
11.04.2018 | 11h47
Contrato do Gcom
Governo do Estado recorre ao Tribunal de Justiça contra suspensão
DA REDAÇÃO
Mauro Zaque

O promotor de Justiça Mauro Zaque, que propôs a ação

O Governo do Estado recorreu, na última sexta-feira (6), ao Tribunal de Justiça contra a decisão liminar (provisória) da juíza Célia Regina Vidotti, que determinou a suspensão do contrato de publicidade do Gcom (Gabinete de Estado de Comunicação), mantido com cinco agências.

A suposta prática de improbidade administrativa teria ocorrido porque as agências patrocinaram um evento com a imprensa, em dezembro de 2016, em que o governador Pedro Taques (PSDB) falou sobre sua gestão.

O Ministério Público Estadual (MPE) também questinou aditivos contratuais e pagamentos.

Segundo apurou a coluna, o recurso enumera eventuais equívocos na ação e cita prejuízos na divulgação de serviços à população, como a Caravana da Transformação, que pretende realizar 20 mil cirurgias de catarata.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet