Artigos
  • SÂMYA SANTAMARIA E CLAUDINÉIA SIMON
    Se o seu tataravô praticou um dano ambiental na área rural que agora é de sua propriedade, você irá responder pelo dano
/ VEJA O VÍDEO

Tamanho do texto A- A+
26.02.2018 | 16h14
Vestindo branco, Arcanjo recebe aplausos ao chegar em casa
Ex-bicheiro deixou a prisão na tarde desta segunda-feira (26), após quase 15 anos detido
RepórterMT
Sorridente, João Arcanjo chega em casa após deixar prisão
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro deixou a prisão em regime fechado na tarde desta segunda-feira (26) após quase 15 anos detido.

Por volta das 14h50, ele chegou a sua residência, no Bairro Boa Esperança, em Cuiabá, e foi aplaudido pelos familiares que o aguardavam, assim que desceu do carro.

Vestindo calça e camiseta brancos, e sorridente, ele acenou para a imprensa e em seguida abraçou os filhos, netos, genro e amigos.

Antes de chegar em casa, Arcanjo passou por uma audiência admonitória com o juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da Vara de Execuções Penais de Cuiabá, no Fórum da Capital e colocou tornozeleira eletrônica . 

Arcanjo ainda deve cumprir algumas medidas cautelares, como não se ausentar de Cuiabá sem aviso prévio ao juízo e se recolher em casa após às 20h30.

O ex-bicheiro recebeu progressão de pena - do regime fechado para o semiaberto – no último dia 19 de fevereiro.

Pela lei, no regime semiaberto, o preso passa o dia na rua e deve dormir em unidades prisionais específicas. Como Mato Grosso não tem esse tipo de unidade, o condenado fica em liberdade, com uso de tornozeleira, e deve voltar a casa todas as noites.

Arcanjo foi considerado o chefe do crime organizado nas décadas de 80 e 90 em Mato Grosso.

Com penas que somam mais de 70 anos, ele é acusado de vários crimes, entre eles homicídio, contravenção penal, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro, e foi solto depois de cumprir 1/6 da pena.

O crime de maior repercussão atribuído a João Arcanjo é a morte do empresário Domingos Sávio Brandão de Lima Júnior, dono do jornal Folha do Estado, em 2002. Por ser o mandante do crime, Arcanjo foi condenado a 19 anos de prisão. 

Veja o vídeo: 

Leia mais: 

Arcanjo tem o direito de cobrar quem lhe deve, diz advogado


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet