Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    O Poder Público deve enxergar aqueles que são a quase totalidade do setor produtivo do nosso Estado
  • JULIANO RIZENTAL
    Em MT, o regimento do TCE disciplinou que outros atores sociais podem dar início a processos de fiscalização
  • CARLOS ARECO
    O impacto criminal do decreto estadual n. 08/2019 e o artigo 96 da lei de licitações nº.8.666/93
/ TRABALHO ESCRAVO

Tamanho do texto A- A+
08.11.2017 | 15h50
Raquel Dodge rejeita sugestões do ministro do trabalho
Documento foi entregue pessoalmente por Ronaldo Nogueira à procuradora-geral
MPF/Divulgação
Raquel Dodge: procuradora-geral da República
DO BLOG DA ANDRÉIA SADI

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, recebeu pessoalmente do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, um documento com sugestões para aperfeiçoar a portaria que modificou as regras de combate e fiscalização do trabalho escravo.

A portaria está suspensa por decisão liminar (provisória) da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF). Antes mesmo da decisão judicial, a própria Raquel Dodge já havia classificado a portaria como "retrocesso" e solicitado que o governo a revogasse.

Desde então, o governo Michel Temer tenta imprimir uma agenda de pautas sociais, para evitar um desgaste maior causado pelas polêmicas dos últimos dias.

O documento foi entregue nesta terça-feira (7) por Nogueira a Dodge. À noite, a procuradora-geral informou ao ministro que o texto proposto não atende nem à recomendação conjunta do Ministério Público Federal e do Ministério Público do Trabalho, e nem à decisão judicial da ministra Rosa Weber.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet