Artigos
  • XÊNIA ARTMANN GUERRA
    “Evoluímos” para a repulsiva situação de uma advogada ser presa e algemada dentro de um fórum no exercício da profissão
  • JEAN CARVALHO
    Atribuo, sob a minha ótica, a responsabilidade da dificuldade passada pelo Poder Judiciário ao próprio Judiciário
  • LUIZ HENRIQUE LIMA
    Até na cela de uma prisão, uma boa leitura liberta o pensamento e desacorrenta a alma
J. Estadual / OBSTRUÇÃO DE JUSTIÇA

Tamanho do texto A- A+
11.10.2017 | 11h05
Delegada confirma que Lesco confessou trama para afastar Perri
Ex-secretário-chefe da Casa Militar, coronel foi reinterrogado na tarde da última terça-feira (10)
MidiaNews
A delegada Ana Cristina Feldner, que conduz investigações dos grampos
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O ex-secretário-chefe da Casa Militar, coronel Evandro Lesco, confessou que agiu de modo a atrapalhar as investigações relativas ao esquema de grampos ilegais operado no Estado.

A informação foi confirmada ao MidiaNews, pela delegada Ana Cristina Feldner, que conduz as investigações.

“O coronel Lesco confessou, sim, a prática do crime de obstrução apurado na operação Esdras”, afirmou Feldner, referindo-se à operação da Polícia Civil que desbaratou um esquema cujo objetivo era conseguir o afastamento do desembargador Orlando Perri do caso.

O coronel Lesco confessou sim a prática do crime de obstrução apurado na operação Esdras

A confissão ocorreu durante reinterrogatório do ex-secretário, realizado na tarde da última terça-feira (10) e que foi realizado a pedido da defesa de Lesco.

Na primeira oportunidade em que seria ouvido, o ex-chefe da Casa Militar optou por permanecer em silêncio. Desta vez, resolveu assumir as responsabilidades em relação às acusações que lhe são imputadas.

“Livrar a esposa”

O delegado Flávio Stringueta - que também está à frente do caso – afirmou que a “confissão” de Lesco pouco contribuiu com as investigações.

Isto porque a atitude do coronel é vista como uma tentativa de “livrar da cadeia” sua esposa, a personal trainer Helen Chrtisty, que também foi presa durante a Operação Esdras.

“Ele confessou todos os fatos a ele atribuídos na Operação, numa tentativa de livrar sua mulher. Não acrescentou nada, portanto, sua estratégia não convenceu. O que ele confessou já está plenamente confirmado nos autos”, disse o delegado.

Segundo Stringueta, o coronel também não citou os demais envolvidos no esquema.

“Os investigados têm o direito de ficar calados e também de mentir, desde que não atribuam falsamente crime a outrem. Pelo jeito ele está mentindo, pois conflita com todas as provas dos autos”, disse.

Embora a defesa do casal Lesco, representada pelo advogado Stalyn Paniago, tenha afirmado que ambos resolveram "assumir suas responsabilidades", o delegado disse a personal não deu declarações relevantes à investigação.

Leia mais sobre o assunto:

Defesa: coronel Lesco e esposa "assumiram responsabilidades"

Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Setembro de 2018
24.09.18 09h41 » Ex-presidente do Detran comprova origem e TJ devolve bens
24.09.18 08h59 » TJ manda Defaz compartilhar investigação contra agropecuária
21.09.18 11h10 » Conselheiro afastado terá que indenizar cabo eleitoral em R$ 10 mil
20.09.18 10h22 » Processo, que corre em Cuiabá, vai parar em Várzea Grande
19.09.18 17h20 » Juiz recebe denúncia e médica vira ré por morte de verdureiro
19.09.18 17h10 » Processo de ex-golpista some e impede julgamento de HC no TJ
19.09.18 14h27 » Ex-deputado Riva é condenado a 17 anos e 9 meses de prisão
19.09.18 09h57 » Réus citam deputados, mas juiz nega enviar processo para o TJ
19.09.18 09h30 » Servidor terá que indenizar juiz por ofensa em página do Facebook
19.09.18 08h59 » Justiça condena ex-auditor do TCE de MT, que perde salário de R$ 33 mil



Copyright © 2018 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet