Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    Se agente público pode agir de forma discricionária, Constituição censura atitudes incoerentes

Tamanho do texto A- A+
19.04.2017 | 17h12
“Marido ciumento”
Testemunha dá resposta inusitada em audiência
DA REDAÇÃO
Forum de Cuiabá

Servidora foi ouvida em audiência realizada no Fórum de Cuiabá

Uma servidora pública estadual deu uma resposta bastante “inusitada” ao ser ouvida como testemunha da ação penal derivada da Operação Sodoma 4, realizada na última terça-feira (18).

Questionada pela defesa do procurador aposentado do Estado Francisco Lima Filho, o “Chico Lima”, se ela conhecia o réu e outros secretários envolvidos na ação, a servidora disse que apenas os cumprimentava.

“Meu marido é mega ciumento, por isso nunca fui a nenhuma festa de confraternização do trabalho. Só dava ‘bom dia’ e ‘boa tarde’ para os secretários. Nunca dei intimidade", respondeu ela, arrancando risos dos presentes na sala.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:
Maio de 2017
24.05.17 14h29 » Big Brother
24.05.17 09h31 » "A" pergunta
24.05.17 09h27 » Efeito grampos
23.05.17 11h39 » Contra a Avianca
23.05.17 11h38 » Grampolândia
23.05.17 11h37 » Efeito JBS?
22.05.17 14h44 » Rêmora
22.05.17 14h43 » Leves e soltos
22.05.17 14h42 » Grampos
22.05.17 14h42 » Propina



Copyright 2012 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet