Artigos
  • CARLA RACHEL FONSECA
    Paternidade socioafetiva é reconhecimento jurídico da paternidade com base no afeto
  • VICTOR MAIZMAN
    Brasil tem a possibilidade de participar dos diferentes órgãos da OCDE
/ MORTE DE ISABELE

Tamanho do texto A- A+
22.07.2020 | 17h03
MPE: Pai fez várias ligações antes de Samu chegar à residência
A informação consta no mandado de busca e apreensão deferido pela 2ª Vara Especializada da Infância
Reprodução
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O Ministério Público Estadual (MPE) afirmou que o empresário Marcelo Cestari - pai da adolescente que matou supostamente de maneira acidental uma amiga no último dia 12, no condomínio Alphaville – teria feito várias ligações a terceiros antes da chegada do Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) à sua residência.

A informação consta no mandado de busca e apreensão deferido pela juíza Cristiane Padim da Silva, da 2ª Vara Especializada da Infância e Juventude da Comarca de Cuiabá, e que foi cumprido na última sexta-feira (17), após dúvidas em relação a tragédia.

O mandado, no entanto, não cita o nome do promotor que pediu as buscas.

A tragédia que vitimou Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos, ocorreu em um dos banheiros da residência de Marcelo Cestari.

O promotor de Justiça destacou que o genitor da investigada B. teria efetuado ligações para várias pessoas, as chamando para o local, havendo a possibilidade de terem chegado antes do Samu, perícia técnica e polícia civil

“O promotor de Justiça destacou que o genitor da investigada teria efetuado ligações para várias pessoas, as chamando para o local, havendo a possibilidade de terem chegado antes do Samu, perícia técnica e Polícia Civil”, diz trecho do documento, ao qual o MidiaNews teve acesso.

“E apontou a importância de verificação dessas ligações e de eventuais mensagens. Registrou, ainda, a necessidade de conferência das ligações do celular do investigado e imprescindibilidade da perícia complementar para constatar onde o disparo ocorreu”, acrescenta o documento.

A promotoria argumentou, ainda, que tais diligências seriam úteis para classificação da conduta do empresário: culposa ou dolosa.

“Dinâmica confusa”

Ainda na decisão da 2ª Vara Especializada da Infância, foram citados apontamentos da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa – que atendeu a ocorrência – dando conta de uma “dinâmica confusa” em relação aos fatos ocorridos no residencial.

Na decisão consta que, mesmo tendo sida requisitada a perícia, apreensão de arma, bem como do celular da vítima e da autora do disparo, outras diligências ainda seriam “imprescindíveis” para o esclarecimento do contexto e classificação das condutas dos menores envolvidos no episódio.

Entre eles, a adolescente que efetuou o disparo e seu namorado, que foi quem levou à residência a pistola que vitimou a menor.

“Não me lembro”

Na decisão proferida na última semana, a juíza Cristiane Padim da Silva afirmou que a autoridade policial à frente da investigação, bem como a promotoria de justiça responsável pelo caso estão corretos a respeito da necessidade de outros elementos técnicos para elucidação do caso.

Ela citou, inclusive, que os depoimentos das pessoas envolvidas no episódio – e que tinham sido coletados até aquele momento – haviam muitos questionamentos para os quais as respostas eram “não me lembro”.

Cristiane Padim afirmou também que a autoridade policial registrou “não estar clara a dinâmica dos fatos”.

Todas essas respostas, conforme a magistrada, poderiam ser complementadas pelas provas técnicas requeridas.

Na ocasião, a juíza determinou buscas nas residências de Marcelo Cestari e do empresário Glauco Correa da Costa (pai do menor que levou a arma até o local da tragédia); bem como a apreensão de seus aparelhos celulares.

Foi determinada, ainda, apreensão e imagens do circuito interno da casa de Cestari e a realização de perícia complementar no local com o uso de luminol, de modo a averiguar vestígio de sangue em outros pontos da casa.

Leia mais sobre o assunto:

Polícia faz buscas nas residências de pai e sogro de garota


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2020 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet