Artigos
  • CARLA RACHEL FONSECA
    Paternidade socioafetiva é reconhecimento jurídico da paternidade com base no afeto
  • VICTOR MAIZMAN
    Brasil tem a possibilidade de participar dos diferentes órgãos da OCDE
/ AVALIADO EM R$ 225 MILHÕES

Tamanho do texto A- A+
20.07.2020 | 11h59
Hotel de Arcanjo e joias de ex-governador do RJ vão a leilão
Imóveis do narcotraficante "Cabeça Branca", preso em MT, também estão na lista do leilão
Alair Ribeiro
O bicheiro João Arcanjo Ribeiro
BIANCA FUJIMORI
DA REDAÇÃO

O Governo Federal vai leiloar ainda esse ano bens do bicheiro João Arcanjo Ribeiro e do traficante Luiz Carlos da Rocha, conhecido como "Cabeça Branca", que foi preso em 2017 em Mato Grosso.

A informação foi publicada pelo jornal Folha de São Paulo na manhã desta segunda-feira (20).

Também serão leiloadas joias do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, avaliadas em R$ 3,8 milhões. Ele é réu em 31 ações penais decorrentes da Lava Jato.

Um dos bens de Arcanjo a ser leiloado é um hotel na Flórida, nos Estados Unidos, avaliado US$ 42 milhões (R$ 225 milhões). Trata-se do Crowne Universal Plaza, localizado em Orlando, que atualmente está sob gestão de um administrador judicial.

O hotel foi confiscado pelo Governo Federal em decorrência da Operação Arca de Noé, deflagrada em 2002, para combater um esquema de exploração de jogos de azar, lavagem de dinheiro e pistolagem.

Arcanjo foi novamente preso na Operação Mantus, em maio de 2019, por comandar o jogo do bicho em Mato Grosso.

Ele foi solto em setembro do mesmo ano, mas com uso de tornozeleira eletrônica.

Tráfico

"Cabeça Branca", chamado de “Pablo Escobar do Brasil”, terá dois imóveis de luxo, localizados em Itapema (SC), leiloados pelo Governo. Ele também tem fazendas em Mato Grosso, mas que não constam na lista.

"Cabeça Branca" era considerado o maior traficante de drogas do Brasil, com o seu nome constando na difusão vermelha da Interpol.

Seu patrimônio era estimado em pelo menos US$ 100 milhões.

"Com o dinheiro do leilão, investimos em equipamentos para polícia ou tecnologia nova que vai beneficiar as próprias polícias. A intenção é crescer o fundo a ponto de se tornar mais impactante nas políticas de drogas", disse Gustavo Camilo, diretor de Políticas Públicas e Articulação Institucional da Senad.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2020 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet