Artigos
  • GISELE NASCIMENTO
    Temos que acreditar que amanhã será melhor que hoje, fazendo cada um, uma corrente positiva
  • BRENDA STOFELL
    A Adaptação em meio ao caos da crise econômica causada pela pandemia do coronavírus
/ APOSENTADORIA

Tamanho do texto A- A+
10.03.2020 | 10h25
Conselheiro chama Taques de “canalha”; ex-governador se justifica
Antonio Joaquim e Pedro Taques trocaram farpas durante entrevista à rádio na manhã desta terça-feira
Alair Ribeiro
O ex-governador Pedro Taques (sem partido)
CAMILA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado Antonio Joaquim e o ex-governador Pedro Taques (sem partido) voltaram a se estranhar e trocar farpas na manhã desta terça-feira (10).

Entre outros adjetivos, Joaquim classificou o ex-governador como “pigmeu, impostor, canalha, bandido e crápula”. Taques, por sua vez, afirmou que o desafeto está “emocionalmente abalado”.

O embate teve início no momento em que o conselheiro concedia uma entrevista à rádio Capital FM e disparava críticas contra Taques. Inconformado, o ex-governador ligou para a emissora para se defender.

De início, Joaquim afirmou que um dos grandes erros de sua vida foi decidir sair candidato ao Governo do Estado para enfrentar o “pigmeu Pedro Taques”.

Ele contrariou o parecer. Esse é o tipo dele. Canalha. Bandido. Você é um impostor e será sempre

Para pleitear a vaga, o conselheiro pediu aposentadoria ao então governador Taques. O pedido, contudo, foi negado com base em um parecer do então procurador-geral do Estado, Rogério Gallo.

“Taques usou de sua amizade com Rodrigo Janot [então procurador-geral da República, autor do pedido de afastamento] para fazer essa monstruosa injustiça que estão fazendo comigo há quase três anos. Se eu não fosse candidato, as decisões do Janot não seriam tão graves como foram. A mão dele pesou para me afastar do pleito”, disse o conselheiro.  

Joaquim afirmou, ainda, que Taques agiu com “cinismo” ao fazer uma consulta antes de decidir se assinaria ou não seu pedido de aposentadoria.

“Ele mandou para o STF perguntando se podia assinar. Um ato de cinismo, de  hipocrisia, porque ele tinha acabado de assinar a aposentadoria do ex-deputado J. Barreto, que estava nas mesmas condições que eu: citado na delação. Só fui tratado dessa forma para ser eliminado disputa eleitoral de 2018”, afirmou.

Victor Ostetti/MidiaNews

Antonio Joaquim

O conselheiro afastado Antonio Joaquim, que chamou Taques de "bandido"

“Emocionalmente abalado”

Foi neste momento que Taques entrou em uma ligação ao vivo no rádio e justificou a medida tomada por ele naquela ocasião. Na avaliação do ex-governador, ao buscar a aposentadoria, Joaquim estava “tentando fugir do STF”.

“Pedi um parecer à Procuradoria Geral do Estado, ao então procurador Rogério Gallo. Ele fez um parecer dando conta de que o STF deveria ser comunicado a respeito desse pedido, uma vez que o Supremo estava presidindo uma investigação contra o conselheiro”, explicou.

Segundo Taques, o próprio STF foi quem determinou que a aposentadoria não poderia ser concedida.

“Não fiz absolutamente nada a não ser cumprir a lei. Nada pessoal contra Antonio Joaquim. Eu não posso violar a lei. Só perguntei ao Supremo: O conselheiro pode se aposentar ou não? O Supremo disse não. Ele chorar e falar com voz grossa não significa que ele tenha razão”, ironizou Taques, em alusão ao choro de Joaquim, durante entrevista concedida na última segunda (9).

“Não estou em tempo de bater boca com conselheiro. Ele acha que tem voz grossa e por isso é honesto, que vai impor medo em qualquer pessoa. Ele tem que entender que vivemos em uma democracia. Cumpri meu papel de governador e não me arrependo. Ele não pode pessoalizar, ofender as pessoas. Ele está emocionalmente abalado”, concluiu.

Queria disputar a eleição com você, por isso queria aposentar. Queria te enfrentar, pegar você pelo pescoço. Politicamente. Eleitoralmente. Ia te dar uma surra. Mas você apanhou do povo

"Crápula, impostor"

A declaração foi o suficiente para que Joaquim passasse a disparar novas críticas contra Taques, a quem ele chamou de “crápula”.

“Pedro Taques, você nunca me enganou. Você não vai mudar. É e sempre foi um impostor. Sua conversinha fiada aqui é a mesma de sempre. Você mentiu, descaradamente, como sempre. Tenta manipular os fatos. Não queira transferir ao Gallo a culpa da sua idiotice, da sua covardia”.

“Não estava fugindo do STF. Queria disputar a eleição com você, por isso queria aposentar. Queria te enfrentar, pegar você pelo pescoço. Politicamente. Eleitoralmente. Ia te dar uma surra. Mas você apanhou do povo”, disparou.

Ainda segundo ele, ao contrário do que foi dito por Taques, o parecer da PGE lhe permitia a aposentadoria, desde que fosse resolvida uma pendência a respeito de tempo de contribuição à época em que era deputado estadual.

“Ele contrariou o parecer. Esse é o tipo dele. Canalha. Bandido. Ele omite que assinou aposentadoria do deputado que estava na mesma delação que eu. Você não me engana, Taques. Você é um impostor e será sempre”, disse.

“E não se impressione com minha voz, não. Ela é natural. Não quero criar algum tipo de medo não. Você não me deixou aposentar, pediu ao Janot para me afastar. Janot, no seu instinto assassino – aquele que não teve coragem de puxar gatilho para matar Gilmar Mendes - pediu minha aposentadoria duas vezes”, completou.

Veja a entrevista a partir de 22min:


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2020 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet