Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    É preciso entender a CF para analisar se a lei está em consonância com a Carta
  • ROSANA LEITE DE BARROS
    O que tenho visto são estatísticas evidentes e gritantes de violência doméstica e familiar
/ ATROPELOU FAMÍLIA

Tamanho do texto A- A+
03.01.2020 | 14h49
Desembargador manda soltar jovem sob fiança de R$ 103 mil
Motorista estava preso desde o dia 31, quando ocorreu o acidente na Avenida dos Trabalhadores
Alair Ribeiro/TJMT
O desembargador Márcio Vidal, do TJMT
BIANCA FUJIMORI
DA REDAÇÃO

O desembargador Márcio Vidal estabeleceu fiança de 100 salários mínimos para a soltura de Wesley Patrick Villas Boas de Souza, de 23 anos, acusado de atropelar uma mulher e duas crianças na Avenida dos Trabalhadores, em Cuiabá. Os dois menores morreram.

A decisão foi proferida nessa quinta-feira (2). O acidente ocorreu no dia 31 e Wesley foi detido em flagrante.

O juiz Wladymir Perri, da Terceira Vara Criminal de Cuiabá, converteu o flagrante em prisão preventiva por duplo homicídio culposo e lesão corporal grave, durante audiência de custória realizada na quarta-feira (1º). 

Na decisão do desembargador Márcio Vidal, à qual o MidiaNews teve acesso, o magistrado afirma que a prisão preventiva do jovem foi desnecessária, visto que o crime foi culposo – quando não há intenção de matar.

O desembargador também entendeu que o argumento de manter a segurança pública é descabido, pois Wesley não possui antecedentes criminais, não fugiu no local do atropelamento e ainda prestou socorro às vítimas.

“De outro giro, o argumento utilizado pelo Juízo de base, para a decretação da prisão preventiva, calçada na garantia da ordem pública, qual seja, o clamor público, não é motivação idônea a justificar a segregação cautelar, conforme orienta o STF”, afirmou.

O argumento utilizado pelo Juízo de base, para a decretação da prisão preventiva, calçada na garantia da ordem pública, qual seja, o clamor público, não é motivação idônea a justificar a segregação cautelar

“Demais disso, soma-se o fato de o Paciente ostentar condições favoráveis, tais como, residência fixa, trabalho lícito e ser primário, consoante documentos anexos aos autos e consulta ao sítio eletrônico deste Tribunal de Justiça, de modo que não se sustenta a manutenção da prisão cautelar”, completou Vidal.

Conforme a decisão, Wesley deve pagar R$ 103,9 mil pela sua liberdade e ficará proibido de sair da cidade por mais de oito dias. Além disso, o motorista também teve a sua carteira de habilitação (CNH) suspensa.

O caso

No dia 31 de dezembro, Wesley conduzia uma caminhonete Dodge Ram branca na Avenida dos Trabalhadores.

Segundo informações de testemunhas, ele estaria dirigindo em zigue-zague na pista quando atingiu a família. Um menino de 10 anos morreu na hora.

O homem precisou ser conduzido até o Cisc Verdão pelos policiais militares para não ser linchado pelas testemunhas. As pessoas se revoltaram com situação e jogaram pedras no veículo.

A mulher e a segunda criança, de 3 anos, foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e conduzidas até o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC). No entanto, a menor não resistiu e morreu. 

A Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran) está investigando o caso.

Veja vídeo do momento do atropelamento:

Leia mais:

Vídeo mostra atropelamento de mãe e filhos em avenida de Cuiabá

Juiz mantém prisão de homem que matou 2 crianças em Cuiabá

Caminhonete atropela e mata duas crianças e deixa a mãe ferida


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2020 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet