Artigos
  • VICTOR MAIZMAN
    MT está entre os estados que cobram os valores mínimos mais elevados do país
  • GONÇALO ANTUNES DE BARROS
    A liberdade, pura e genuína, é impossível, pois sofre limitações por parte do Estado
/ ACUSADO DE AGREDIR A EX

Tamanho do texto A- A+
03.12.2019 | 16h59
Desembargador manda soltar médico preso 3 vezes neste ano
Emilson Miranda Júnior é reincidente na acusação de crimes previstos na Lei Maria da Penha
Reprodução
O médico Emilson Miranda Júnior (no detalhe)
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O desembargador Pedro Sakamoto, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, acatou habeas corpus e determinou a soltura do médico Emilson Miranda Júnior, de 30 anos, acusado de ameaçar e agredir a ex-namorada.

A decisão é de segunda-feira (2).  No entanto, não há mais detalhes sobre o caso porque o processo tramita em segredo de Justiça.

Emilson estava preso desde a última quinta-feira (27), após descumprir medidas cautelares impostas a ele anteriormente como condição para deixar a cadeia.  

A prisão ocorreu uma semana depois de Emilson ser solto no dia 21 de novembro, mediante uso de tornozeleira eletônica e proibição de se aproximar da vítima, que recebeu um “botão de pânico”.

Na outra ocasião, ele estava preso desde o dia 12 de novembro, suspeito de ameaça e lesão corporal contra a ex-namorada. 

No total, o médico foi preso três vezes apenas neste ano em Cuiabá. 

A primeira prisão ocorreu em fevereiro, quando foi acusado de espancar a então namorada e ameaçar matar a filha dela, no Bairro Jardim das Américas.

Antes disso, em 2017, o médico também foi preso por agredir uma professora com quem se relacionava. Ela teve a casa invadida e teria sido espancada pelo suspeito.

Reincidente

Em fevereiro, conforme registrado em boletim de ocorrência, a vítima - que é ex-esposa de um juiz - estava na casa do agressor quando começou uma discussão.

Ainda conforme o B.O., o homem passou a xingar a mulher e a agrediu com socos e tapas na cabeça e na boca.

O médico ainda teria puxado o cabelo da namorada e a jogado na cama enquanto a mandava calar a boca.

Ele falado ainda que se ela contasse para o ex-marido, que é juiz, iria matá-la e cortar a filha dela “em mil pedaços”.

Em determinado momento, a vítima correu até a cozinha, onde conseguiu a ajuda da sogra, que abriu a porta do apartamento para ela sair. 

Leia mais: 

Médico acusado de agredir a ex volta a ser preso em Cuiabá


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet