Artigos
  • RENATO GOMES NERY
    Movimentação política, com vistas à sucessão municipal em Cuiabá, começou
/ PRESIDÊNCIA DO TCE

Tamanho do texto A- A+
01.10.2019 | 16h15
Maluf anuncia candidatura e diz querer consenso com colegas
Com veto do regimento à reeleição e candidatura de substitutos, ele é o único apto ao cargo
Thiago Bergamasco/TCE-MT
Guilherme Antonio Maluf, conselheiro do TCE-MT
THAIZA ASSUNÇÃO
DA REDAÇÃO

O conselheiro do Tribunal de Contas (TCE-MT), Guilherme Antonio Maluf, protocolou, na última segunda-feira (30), uma comunicação interna manifestando o interesse em disputar o comando da Corte no biênio 2020/2021.

Maluf é o único apto a concorrer ao cargo, já que o regimento interno da Casa veta a reeleição. Atualmente, o presidente é o conselheiro Domingos Campos Neto, que será vice da chapa de Maluf.

Além disso, a regra estabelece que somente conselheiros efetivos podem assumir a presidência.

Ao MidiaNews, o conselheiro novato disse que irá buscar a todos da Corte para construir um consenso.

"Protocolei no dia de ontem uma comunicação manifestando meu interesse. Vou procurar a todos para construir um consenso, mesmo sabendo que o regimento seja favorável a mim”, afirmou.

Vou procurar a todos para construir um consenso, mesmo sabendo que o regimento seja favorável a mim

Maluf tomou posse no TCE no dia 1º de março, após nomeação do governador Mauro Mendes (DEM), por indicação da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Com a entrada dele, o TCE passou a ser composto por dois  efetivos e cinco substitutos. 

Luiz Henrique Moraes de Lima, Isaias Lopes da Cunha, João Batista Camargo, Jaqueline Jacobsen e Moisés Maciel assumiram as vagas de José Carlos Novelli, Antônio Joaquim de Moraes Filho, Valter Albano, Waldir Teiss e Sérgio Ricardo de Almeida em setembro de 2017.

Eles foram afastados por determinação do ministro Luiz Fuz, do Supremo Tribunal Federal (STF). 

Os conselheiros são suspeitos de terem recebido propina de R$ 53 milhões do ex-governador Silval Barbosa para, em troca, dar pareceres favoráveis às contas do político e não colocar entraves na execução das obras da Copa do Mundo de 2014.


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet