Artigos
  • OTACILIO PERON
    Órgão cuja missão é controlar contas dos entes deveria dar o exemplo
/ ESQUEMA NA SEMA

Tamanho do texto A- A+
03.07.2019 | 11h41
MPE investiga deputado, mãe e irmãos por suspeita de fraude
Propriedade rural fica em Rondonlândia; portaria foi publicada na última segunda-feira
Alair Ribeiro/MidiaJur
Deputado estadual Carlos Avalone Júnior (PSDB)
CÍNTIA BORGES
DA REDAÇÃO

O Ministério Público Estadual instaurou uma investigação contra o deputado estadual Carlos Avalone (PSDB) e mais três pessoas de sua família por suposta fraude ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema).

Além do parlamentar, são alvos da investigação sua mãe Ida Festa Avalone e os irmãos Carlos Eduardo Avalone e Marcelo Avalone.

As supostas fraudes são investigadas na Operação Polygonum, deflagrada pelo MPE com apoio da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema) em 2018.

Os promotores de Justiça Marcelo Caetano Vacchiano e Joelson de Campos Maciel abriram dois inquéritos (veja AQUI e AQUI) sobre o caso. As portarias foram assinadas na segunda-feira (1º).

Conforme os promotores, a Fazenda "Goio Bang II", no Município de Rondonlândia (a 1.068 km de Cuiabá) pode ter apresentado "informações inverídica" no cadastro.

“As inconsistências verificadas no Cadastro Ambiental Rural n° MT82086/2018, relativo à 'Fazenda Goio Bang I', situada no município de Rondolândia/MT, constituem passivos ambientais', conforme íntegra do AIP n. 149/2019, instaurado na Delegacia Especializada de Meio Ambiente”, diz trecho do documento.

A portaria determina, ainda, que o deputado, a mãe e os irmãos compareçam a uma audiência às 15h30 com os promotores junto à Dema e à Sema.

Operação Polygonum

As investigações são feitas pela Dema e o MPE, com apoio do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

De acordo com o MPE, o esquema funcionava de pelo menos três formas diferentes: por meio do deslocamento de polígonos; mediante o desmembramento de propriedades; e por meio de “fraudes em tipologia” - quando o proprietário contrataria um engenheiro para fraudar relatórios ambientais.

Entre os denunciados pelo MPE está o ex-secretário de Meio Ambiente André Baby, e o ex-superintendente de Regularização e Monitoramento Ambiental João Dias Filho.

Também foram denunciadas algumas empresas de consultoria ambiental pela prática de crimes ambientais (como desmatamentos ilegais, falsificações e inserções de dados falsos em procedimentos ambientais) e por organização criminosa.

Leia mais sobre o assunto:

MPE denuncia ex-secretário e mais sete por esquema na Sema

Operação cumpre 5 mandados de prisão contra fraudes na Sema

 


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet