Artigos
  • OTACILIO PERON
    Órgão cuja missão é controlar contas dos entes deveria dar o exemplo
/ OPERAÇÃO RÊMORA

Tamanho do texto A- A+
02.07.2019 | 16h50
Em depoimento, empresários detalham esquema na Seduc
Audiência foi conduzida pela juíza Ana Cristina Mendes, da 7ª Vara Criminal, na manhã desta terça-feira (2)
DA REDAÇÃO

Os empresários da construção civil Giovani Belatto Guizardi, da Construtora Dínamo, e Ricardo Augusto Sguarezi, dono da Aroeira, detalharam nesta terça-feira (2) como funcionava o esquema de licitações na Secretaria Estadual de Educação (Seduc), entre 2015 e 2016, durante depoimento prestado no Fórum de Cuiabá.

Os depoimentos foram conduzidos pela juíza Ana Cristina Silva Mendes, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá e referem-se à ação derivada da Operação Rêmora.

Nos depoimentos, tanto Giovani Guizardi, que figura entre os cinco réus do processo, como Ricardo Sguarezi, ouvido na condição de testemunha de acusação, detalharam como o processo era desenvolvido para encaminhar e possibilitar a liberação das verbas destinadas ao pagamento de obras de construção e reforma de unidades escolares em Mato Grosso.

Eles reafirmaram, de acordo com as informações que constam nos autos, que o esquema atendia o interesse de construtores que prestavam serviços para a Seduc, por meio de licitação. 

Alair Ribeiro/MidiaNews

Juiza Ana Cristina Silva Mendes

Audiência foi conduzida pela juíza Ana Cristina Mendes, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá

A próxima audiência foi agendada para o dia 1º de agosto (quinta-feira), quando será ouvido Luís Fernando da Costa Rondon, empresário da Construtora Panamericana, que prestará depoimento  como colaborador.

Nesta mesma data também serão ouvidas as testemunhas de defesa.

Os depoimentos dos réus Alan Ayoub Malouf, Permínio Pinto Filho, Fábio Frigeri, Wander Luiz dos Reis e Giovani Belatto Guizardi foram agendados para o dia 19 de agosto.

Eles são acusados de participar do esquema de pagamento e recebimento de propina para garantir a liberação de verbas na Secretaria Estadual de Educação.

Leia mais: 

Delator, Malouf terá que devolver R$ 5,5 mi aos cofres públicos

Ministro do STF retira sigilo da delação premiada de Alan Malouf

Malouf é condenado a 11 anos de reclusão por fraudes na Seduc


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet