Artigos
  • ARNALDO JUSTINO
    Tive essa sensação durante a votação do STF sobre a redução do salário do servidor
  • LUIS FILIPE GOMES
    Receita Federal altera regras relativas à obrigatoriedade da entrega
  • RENATO GOMES NERY
    A questão do meio ambiente é seríssima, pois diz respeito ao nosso futuro
/ PRESO HÁ DOIS MESES

Tamanho do texto A- A+
09.05.2019 | 17h47
Desembargador manda soltar DJ acusado de tráfico de drogas
Patrike de Castro e seu amigo Diego Datto haviam sido presos com ecstasy, anabolizantes e abortivos
Reprodução/PJC
Patrick foi preso em flagrante por tráfico de drogas no dia 28 de fevereiro
CÍNTIA BORGES
DA REDAÇÃO

O desembargador Paulo da Cunha, da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, determinou nesta quinta-feira (9) a soltura do DJ Patrike Noro de Castro.

Patrick foi preso em flagrante por tráfico de drogas no dia 28 de fevereiro, junto com seu amigo Diego de Lima Datto. Com eles, a polícia apreendeu 113 comprimidos de ecstasy, LSD, anabolizantes e remédios abortivos. Interrogada, a dupla alegou que as drogas sintéticas seriam para uso pessoal.

Ainda na sexta-feira (10), o DJ deve passar por audiência na 13ª Vara Criminal da Capital para que sejam estabelecidas medidas cautelares. Ele está detido em uma cela na ala evangélica da Penitenciária Central do Estado (PCE), no Bairro Pascoal Ramos.

O magistrado extendeu a Patrike o habeas corpus que havia beneficiado Diego Datto, na quarta-feira.

Defiro o pedido de extensão formulado em favor do corréu Patrick Noro de Castro, para revogar a prisão preventiva, mediante a fixação de medidas cautelares menos onerosas

Nela, o desembargador destaca que a prisão cautelar se dá quando, nos autos, há “elementos concretos que indiquem a real possibilidade de obstrução na colheita de provas, ou a real possibilidade de reiteração da prática delitiva, ou a existência de organização criminosa”.

"Defiro o pedido de extensão formulado em favor do corréu Patrike Noro de Castro, para revogar a prisão preventiva, mediante a fixação de medidas cautelares menos onerosas, a serem estabelecidas pelo juízo singular, sem prejuízo de decretação de nova prisão preventiva, em caso de fato novo a demonstrar a necessidade da medida", determinou Paulo da Cunha.

Prisão

Patrike Noro é conhecido na Capital por apresentações feitas em diversas casas noturnas. Ele foi preso em sua casa, no Residencial Monte Líbano. Já Diego foi detido em seu apartamento, no Bairro Araés.

Além das drogas sintéticas, foram apreendidos nas casas dos suspeitos dinheiro, relógios, seringas, máquinas de cartão de crédito e rádios de comunicação, além de equipamentos de música.

Os dois foram autuados por tráfico de drogas e associação ao tráfico, segundo o delegado Victor Hugo Bruzulato.

Leia mais sobre o assunto:

Desembargador manda soltar jovem preso com drogas sintéticas

DJ e comparsa são levados para cela na ala evangélica da PCE


Voltar   

Nenhum Comentário(s).
Preencha o formulário abaixo e seja o primeiro a comentar esta notícia
Comente está matéria

Confira também nesta seção:



Copyright © 2019 Midia Jur - Todos os direitos reservados
Trinix Internet